CONCENTRAÇÕES LETAIS DE FÓSFORO NA ÁGUA PARA TILÁPIA DO NILO (OREOCHROMIS NILOTICUS)

Luana Cagol, Izabel Volkweis Zadinelo, Lucíola Thais Baldan, Eduardo Luis Cupertino Ballester, Tânia Cristina Pontes, Lilian Dena Dos Santos

Resumo

A qualidade da água em aquicultura é o conjunto de características ótimas que devem ser mantidas no ambiente, garantindo o sucesso dos cultivos. O objetivo deste trabalho foi determinar a concentração letal e níveis de segurança do fósforo para tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). O estudo foi conduzido no Laboratório de Qualidade de Água e Limnologia da Universidade Federal do Paraná, Setor Palotina. Foram alocadas 60 juvenis de tilápia com peso médio de 3,8 ± 1,3g, divididos aleatoriamente em 12 unidades experimentais que consistiam de um recipiente com volume útil de 1 L providas de aeração individual com fotoperíodo de 12/12 h (luz / escuro). Testou-se 12 concentrações diferentes de fósforo total (Fosfato de Potássio PA – Synth®), sendo elas: 0, 1, 10, 50, 100, 200, 300, 400, 500, 1000, 5000 e 10000 mg L-1. Ao longo das 96 h de teste de toxicidade aguda, os animais mortos (sem movimento observável) foram retirados das unidades experimentais e as mortalidades foram registradas em planilha. As concentrações de 0 à 400 mg L-1 não foram letais, porém na maior concentração (10.000 mg L-1) foi observada 100% de mortalidade em 1 hora. Às concentrações de 5.000 mg L-1 e 1.000 mg L-1 provocaram mortalidade de 60% dos peixes em 24 h e 100% em 48 h. Com uma concentração mais baixa, 500 mg L-1 a mortalidade média foi de 20% para uma exposição à 48 h e 60% a 72 h. A toxidez do fósforo em animais aquáticos parece não ser um sério problema, pois as concentrações utilizadas neste ensaio que foram letais estão muito longe de serem encontradas em águas de cultivo.

Texto completo:

PDF