Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de Cártamo (Carthamus tinctorius L.) inoculadas com Azospirillum Brasilense

Claudia Luiza Maziero, Reginaldo Ferreira Santos, Luzia Aparecida Bispo Leite, Lais Fernanda Juchem do Nascimento, Michel Anderson Masiero

Resumo

Devido à necessidade do uso de tecnologias que possam promover o desenvolvimento e melhorar a produtividade do Cártamo, novas biotecnologias como a inoculação de plântulas é uma das alternativas que está em evolução, permitindo a fixação biológica de nitrogênio. Objetivou-se com este trabalho avaliar os efeitos da inoculação do Cártamo com Azospirillum brasilense Estirpes AbV5 e AbV6 na formulação de veículo líquido. Os experimentos foram realizados em Cascavel, PR no período de Maio a Junho de 2017. O Delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados, (com e sem produto comercial) em esquema fatorial 2x2 com cinco repetições, consistente nos genótipos IMA-2232, IMA-4409.  Os dados de emergência foram coletados até o 15º dia. Ao 30º dia as plantas foram colhidas para a realização das demais análises pertinentes. Onde foram avaliados a porcentagem de emergência, índice de velocidade de emergência, tempo médio de germinação, velocidade média de emergência, massa fresca e seca das plantas, comprimento de raiz e planta, diâmetro do caule. Através das análises observou-se que não houve grande diferença significativa quanto a variáveis analisadas. O Inoculante A. Brasilense apresentou maior eficiência em relação à germinação das plântulas. 

Texto completo:

PDF