Teorias sociológicas sobre a criminalidade. Análise comparativa de três teorias convergentes e complementares

Jair Araújo de Lima, Juliane Ramalho dos Santos, Polyana Pinheiro Dal'Col, Samara Fiorio da Silva

Resumo


O artigo faz uma análise comparativa de três teorias sociológicas sobre a criminalidade: a Teoria da Associação Diferencial (ou Aprendizagem Social) de Edwin H. Sutherland, a Teoria do Autocontrole de Michael R. Gottfredson e Travis Rirch e a Teoria da Anomia (strain) de Robert K. Merton.  A nossa análise acaba por demonstrar que estas três teorias podem ser compreendidas como convergentes e complementares. Concluímos apontando que, entre tantas teorias sociológicas do crime, estas três podem ser utilizadas para a análise sociológica, de maneira que uma cobra as lacunas da outra. Assim, não precisamos de novas teorias sociológicas do crime, mas, de uma utilização de teorias que se complementem e expliquem, de forma transversal, os fenômenos do crime.


Palavras-chave


Crime, Sociologia do Crime, Teoria da Associação Diferencial, Teoria do Autocontrole, Teoria da Anomia.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Alamedas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Alamedas - Revista Eletrônica de Filosofia


e-ISSN 1981-0253

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Toledo

Rua da Faculdade, 645 - Jardim La Salle

CEP: 85903-000 – Toledo-Paraná-Brasil

Fone: (45) 3379-7071

| revistaalamedas@gmail.com |