ENRIQUE DUSSEL E PAULO FREIRE: REFLEXÕES SOBRE O OUTRO NA PEDAGOGIA LATINO-AMERICANA

Jenerton Arlan Schütz, Ivan Luís Schwengber

Resumo


O texto trata do problema clássico na Filosofia da Educação, a saber, sobre a presença do Outro na sala de aula. A partir das obras de Enrique Dussel e Paulo Freire, assumindo um fundo hermenêutico de análise, busca-se compreender o Outro como alguém introduzido no padrão cultural de inferioridade, na esteira da história colonial da América Latina. Consideramos que em um mundo globalizado, competitivo e excludente, parece não fazer mais sentido falar em Outro, não há uma bandeira pedagógica para ser defendida, parece não ser mais possível falar em opressor/oprimido, em pobre/rico, em colonizador e colonizado. Nesse sentido, propõe-se a possiblidade de pensar uma educação libertadora latino-americana, no intuito de buscar compreender e enaltecer a importância da experiência inicial do Outro na educação escolar, um Outro que necessita ser ouvido, compreendido e incluído em um mundo humano comum.


Palavras-chave


Filosofia da Educação. Alteridade. Pedagogia Latino-Americana.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Alamedas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Alamedas - Revista Eletrônica de Filosofia


e-ISSN 1981-0253

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Toledo

Rua da Faculdade, 645 - Jardim La Salle

CEP: 85903-000 – Toledo-Paraná-Brasil

Fone: (45) 3379-7071

| revistaalamedas@gmail.com |