Adaptação da capoeira para idosas reumáticas

Jefferson Santos Silva, Silvana dos Santos

Resumo

Este estudo teve como objetivo sistematizar a prática da capoeira para idosos. Participaram do estudo vinte idosas reumáticas, com faixa etária entre 65 a 82 anos da Associação Maringaense dos Reumáticos (AMAR) da cidade de Maringá (Pr.). Contou-se com 12 encontros de sessenta minutos duas vezes semanais. As participantes do estudo nunca haviam praticado a capoeira ou nada similar a modalidade. No entanto, todas eram participantes de um programa de atividade física ofertado para terceira idade. Foi realizada uma sistematização de ensino da capoeira, iniciando com a história da modalidade e iniciação a musicalização. Em relação aos movimentos, partiu-se de uma sequência que atendessem os movimentos corporais numa progressão do mais simples para os mais complexos. Os encontros foram fotografados e filmados. Estes recursos posteriormente foi suporte para a análise dos dados, também foi elaborado um diário de campo para registro das especificidades ocorridas em cada encontro, como evolução de movimentos e melhorias das habilidades motoras, sociabilização entre participantes, cooperação para a realização conjunta de movimentos considerados complexos, memorização de cantos, entre outras competências. A análise dos dados foi realizada mediante os pressupostos teórico-metodológicos da análise de conteúdo de Bardin. Os resultados obtidos no decorrer das vivências corporais com a prática da capoeira promoveram autoconhecimento corporal, identificando as possibilidades e limitações corporais, promoveu melhoras significativas no condicionamento físico das idosas, ampliando benefícios nos aspectos sócio afetivos, cognitivo, nas habilidades motoras e ampliação do processo sociabilizador dos sujeitos.

Palavras-chave

Idosos, capoeira, atividade física

Texto completo:

PDF

Referências

ANGHEBEN, V. L. Z. A Ginástica rítmica na corporeidade dos acadêmicos de educação física: relações entre o pensar, falar e agir com o corpo. 2005. 221f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2005.

BARBANTI, V. J. Dicionário de educação física e do esporte. 2. ed. São Paulo: Manole, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

BECHARA, M. A. Capoeira: um esporte que educa. Revista Artus, Rio de Janeiro, n. 16, p. 30-1, 1985.

BRANDL, C. E. H. A consciência corporal na perspectiva da educação física. Revista do Conselho Federal de Educação Física, v. 26, n. 3, p. 31, 2002. Disponível em: . Acessado em: 18 de dezembro de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde/Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção em Saúde. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

BRENNECKE, A.; AMADIO, A. C.; SERRÃO, J. C. Parâmetros dinâmicos de movimentos selecionados da capoeira. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 5, n. 2, p. 153-9, 2005.

CAVALARI, T. A. Consciência corporal na escola. 2005. 173f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

COELHO, M. G. F.; GOBBI, S.; COSTA, R. L. J.; GOBBI, B. T. L. Exercício físico no envelhecimento saudável e patológico: da teoria a prática. Curituba: CRV: 2013.

DUARTE, R. Pesquisa qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo. Cadernos de Pesquisa [online], São Paulo, n. 115, p. 139-54, 2002. Disponível em: . Acessado em: 13 de julho de 2016.

FRANCHI, B. M. K.; JUNIOR, M. M. R. Atividade física: uma necessidade para a boa saúde na terceira idade. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 18, n. 3, p. 152-6, 2005.

GALDINO, L. A. S.; NOGUEIRA, C. J.; CÉSAR, E. P.; FORTES, M. E. P.; PERROUT, J. R.; DANTAS, E. H. M. Comparação entre níveis de força explosiva de membros inferiores antes e após flexionamento passivo. Fitness and Performance Jornal, Rio de Janeiro. v. 4, n. 1, p. 11, p. 11-5, 2005.

LUSSAC, R. M. P. A polivalência de la multifacetada capoeira. Lectures: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 14, n. 142, 2010. Disponível em: . Acessado em: 13 de dezembro de 2016.

LUSSAC, R. M. P. Desenvolvimento psicomotor fundamentado na prática da capoeira e baseado na experiência e vivência de um mestre da capoeiragem graduado em educação física. 2004. 450f. Monografia (Especialização em Psicomotricidade) - Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: . Acessado em: 22 de maio de 2016.

LUSSAC, R. M. P. Estudo da metodologia do ensino da capoeira. Sprint Magazine, Rio de Janeiro, v. 15, n. 84, p. 36-8, 1996.

LUSSAC, R. M. P. Terceira idade, envelhecimento e capoeira. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, v. 6, n. 1, p. 50-60, 2009.

MEDINA, J. P. S. A educação física cuida do corpo... e mente: bases para a renovação e transformação da educação física. 9. ed. Campinas: Papirus, 1987.

MILLER, J. C. A escuta do corpo: abordagem da sistematização da técnica Klauss Vianna. 2005. 129f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

OKUMA, S. S. O idoso e a atividade física: fundamentos e pesquisa. 5. ed. Campinas: Papirus, 2009.

PORTEIA, V. P.; JESUS, L. H. Capoeira pedagógica: olhares sobre a cultura do movimento na educação. Cuiabá: Unemat, 2011.

REIS, A. L. T. Educação física e capoeira: saúde e qualidade de vida. Brasília: Thesaurus, 2001.

SANTOS, S. L. Capoeira uma expressão antropológica da cultura brasileira. Maringá: Programa de Pós-Graduação em Geografia-UEM, 2002.

VERONESE, F.; MORÉ, C. L. O. O. A capoeira como instrumento e recurso terapêutico para pessoas com sofrimento psíquico. Revista Eletrônica de Extensão, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 50-63, 2009. Disponível em . Acessado em: 09 de janeiro de 2018.

';