Motivação para a prática da corrida de rua: diferença entre atletas de performance e atletas amadores

Pâmela Norraila da Silva, Bruna Solera, Taís Luiz de Almeida, Ana Luiza Barbosa Anversa, Francisco de Assis Manoel

Resumo

Objetivo: Esse estudo investigou a motivação para a prática de corrida de rua em atletas amadores de alta performance e amadores da cidade de Maringá (PR). Métodos: Participaram 34 atletas de corrida de rua (16 amadores e 18 amadores de alta performance). Como instrumentos de coleta de dados foram aplicados um questionário sociodemográfico para caracterização da amostra e trajetória no esporte assim como a Escala de Motivação para o Esporte (SMS- II). Para análise dos dados, foi utilizado o pacote estatístico SPSS 20.0. As respostas sociodemográficas dos atletas foram expressas em estatística descritiva; os dados da escala de motivação foram expostos em média e desvio padrão, para verificar a normalidade dos dados foi adotado o teste Shapiro Wilk, a comparação da motivação para o esporte dos atletas foi utilizado o teste “t” de Student, adotado o nível de significância de p<0,05. Resultados: Os resultados apontaram que a média de idade dos atletas foi de 34,3±8,1 anos; 52,9% são do sexo masculino e 47,1 são do sexo feminino; o tempo de prática varia de 3 meses à 22 anos. Com relação à motivação para o esporte, foi predominante a motivação intrínseca tanto para o grupo de atletas amadores de alta performance (6,2±1,1) quanto para atletas amadores (5,8±1,6). Além do mais, não foram encontradas diferenças estatísticas na motivação entre os grupos. Conclusão: Não há diferença entre motivação para a prática de corrida de rua entre atletas amadores de alta performance e amadores da cidade de Maringá, além disso, para ambos os atletas as motivações para o esporte são predominantemente intrínsecas.

 

ABSTRACT. Motivation for the practice of the street race: difference between high performance amateur athletes and amateur athletes. Objective: This study investigated the motivation for the practice of street racing in high performance amateurs athletes and amateurs of the city of Maringá-PR. Methods: Thirty-four street-racing athletes participated (18 high performance and 16 amateurs). Sociodemographic questionnaires were used to characterize the athletes and trajectory in the sport, as well as the motivation scale for the sports (SMS-II). Data were analyzed using the Statistical Package for the Social Sciences 20.0 software (SPSS Inc., USA). Results: The sociodemographic responses of the athletes were expressed in descriptive statistics; data for the motivation scale are presented as means ± standard deviations (SD), to verify the normality of the data the Shapiro Wilk test was used, the comparison of the motivation for athletes’ sports, with a significance level of p<0.05. The results indicated that the mean age of the athetes is 34.3±8.1 years, and 52.9% are male and 47.1% are female, and the practice time varies from 3 months to 22 years. Regarding the motivation for the sport, the intrinsic motivation was predominant for both the high performance athlete group (6.0±1.1) and for amateur athletes (5,8±1,6). Conclusion: There is no difference between motivation for the practice of street racing between high performance amateurs athletes and amateurs of the city of Maringá, moreover, for both athletes the motivations for the sport are predominantly intrinsic.

Palavras-chave

Motivação; Corrida; Atletas.

Texto completo:

PDF

Referências

ALBUQUERQUE, D. B.; SILVA, M. L.; MIRANDA, Y. H. B.; FREITAS, C. M. S. M. Corrida de rua: uma análise qualitativa dos aspectos que motivam sua prática. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 26, n. 3, p. 88-95, 2018.

ANTUNES, H. K. M.; SANTOS, R. F.; CASSILHAS, R.; SANTOS, R. V. T.; BUENO, O. F. A.; MELLO, M. T. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 108-14, 2006.

BALBINOTTI, M.A.A.; GONÇALVES. G.H.T.; KLERING, R.T.; WIETHAEUPER, D.; BALBINOTTI, C.A.A. Perfis motivacionais de corredores de rua com diferentes tempos de prática. Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Brasília, v. 37, n. 1, p. 65-73, 2015.

BARRIOS, D. S. Guia completo para corrida em trilha: tudo que você precisa saber para aproveitar ao máximo a sua corrida. São Paulo: Gente, 2009, p. 205.

BORGES, P. H.; SILVA, D. O.; CIQUEIRA, E. F. L.; RINALDI, I. P. B.; RINALDI, W.; VIEIRA, L. F. Motivação e desempenho tático em jovens jogadores de futebol: uma análise a partir da teoria da autodeterminação. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 16, n. 2, p. 120-4, 2015.

BRANDÃO, D. C.; SILVA, C. A. B. Investigação do perfil antropométrico dos praticantes de caminhada/ corrida. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 6, n. 36, p. 552-9, 2012.

CASSETTARI, R. M.; GRAÇA, R. L. Fatores motivacionais dos atletas amadores de jiu-jitsu brasileiro na cidade de Criciúma. Lectures, Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Ayres, v. 19, n. 193, p. 1, 2014. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd193/fatores-motivacionais-de-jiu-jitsu-brasileiro.htm>. Acessado em: 22 de março de 2018.

CASTRO, G. A. A percepção de bem-estar em praticantes de corrida de rua. 2014. 72f. Monografia (Graduação em Educação Física) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

CIOLAC, E. G.; GUIMARÃES, G. V. Exercício físico e síndrome metabólica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v. 10, n. 4, p. 319-24, 2004.

COIMBRA, D. R.; GOMES, S. S.; OLIVEIRA, H. Z.; REZENDE, R. A.; CASTRO, D.; MIRANDA, R.; BARA FILHO, M. G. Características motivacionais de atletas brasileiros. Motricidade, Ribeira de Pena, v. 9, n. 4, p. 64-72, 2013.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. New York: Plenum, 1985.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The “whats” and “why” of goal pursuits: Human needs and the self determination. Psychological Inquiry, Filadélfia, v. 11, n. 4, p. 227-68, 2009

FERREIRA, A. C.; DIAS, J. M. C.; FERNANDES, R. M.; SABINO, G. S.; ANJOS, M. T. S.; FELÍCIO, ??. Prevalência e fatores associados a lesões em corredores amadores de rua do município de belo horizonte, MG. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 252-55, 2012.

GLOBO ESPORTE. Você sabe qual o perfil do nosso corredor? 2017. Disponível em . Acessado em: 22 de março de 2018.

GONÇALVES, G. H. T. Corrida de rua: um estudo sobre os motivos de adesão e permanência de corredores amadores em Porto Alegre. 2011. 52f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

GOSTON, J. L.; MENDES, L. L. Perfil nutricional de praticantes de corrida de rua de um clube esportivo da cidade de belo horizonte, MG, Brasil. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 13-7, 2011.

HAYECK, F. B. A. Gestão do trânsito para atividades esportivas na via-corridas de rua na cidade de São Paulo. Podium - Sport, Leisure, Tourism Review, São Paulo, v. 3, n. 3, p. 45-6, 2014.

HERTHER, A. C. Fatores de adesão e permanência em corridas de rua no município de Ijuí- RS. 2016. 36f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2016

HESPANHOL JUNIOR, L. C.; COSTA, L. O. P.; CARVALHO, A. C. A.; LOPES, A. D. Perfil das características do treinamento e associação com lesões musculoesqueléticas prévias em corredores recreacionais: um estudo transversal. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 16, n. 1, p. 46-53, 2012.

ISHIDA, J. C.; TURI, B. C.; PEREIRA-DA-SILVA, M.; AMARAL, S. L. Presença de fatores de risco de doenças cardiovasculares e de lesões em praticantes de corrida de rua. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 55-65, 2013.

LEGAL, J. E.; DELVAN, J. S. Psicologia do desenvolvimento e aprendizagem. Indaial: Uniasselvi, 2011.

LIMA, A. P. C.; VIEIRA, D. F. S.; SILVA, F. S. Incidência de lesões musculoesqueléticas em praticantes de corrida de rua de Teresina, PI. Revista Saúde em Foco, Teresina, v. 4, n. 2, p. 15-39, 2017.

MANSOR S. H.; MD JAPILUS S. J.; AHMAD RADZI, J.; OTHMAN N.; MUHAMAD, S. N. N. Mental toughness and motivation among amateur golfers in malaysia. In: MAT NOOR, A.; MOHD ZAKUAN, Z.; MUHAMAD NOOR S. (Eds.) Proceedings of the second international conference on the future of ASEAN (ICoFA). Volume 1. Springer: Singapore: 2017. p 255-262.

MIZOGUCHI, M. V.; GARCIA, W. F.; NAZARIO, P. F.; LARA, B. M. Análise dos níveis motivacionais dos corredores de rua de Bragança Paulista. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 2-12, 2014.

NASCIMENTO JUNIOR, J. R. A.; VISSOCI, J. R. N.; BALBIM, G. M.; MOREIRA, C. R.; PELLETIER, L.; VIEIRA, L. F. Adaptação transcultural e análise das propriedades psicométricas da Sport Motivation Scale - II no contexto brasileiro. Revista da Educação Física, Maringá, v. 25, p. 441-58, 2014.

NAZARIO, P. F.; CARUZZO, N. M.; LIMA, F. E. B.; SANTOS, V. A. P.; VIEIRA, J. L. L.; CONTREIRA, A. R. Níveis de motivação em nadadores: uma comparação em relação a autoeficácia, sexo e categorias da modalidade. Revista Biomotriz, Cruz Alta, v. 7, n. 1, p. 29-41, 2013.

NEITZ, K. M. Guia Runner’s World de corrida de rua: como treinar para provas de 5 km, 10 km, meia maratona e maratona. São Paulo: Gente, 2010, p. 247.

PELLETIER, L. G.; ROCCHI, M. A.; VALLERAND, R. J.; DECI, E. L.; RYAN, R. M. Validation of the revised Sport Motivation Scale (SMS-II). Psychology of Sport and Exercise, Amsterdam v. 14, n. 3, p. 329-41, 2013.

ROJO, J. R. Corrida de rua e política pública: um estudo a partir das ações do poder público municipal de Curitiba - PR. 2017. 137f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

ROMERO, J. Atleta profissional, não profissional e amador. 2018. Disponível em: . Acessado em: 18 de março de 2018.

RUIVO, R. Definindo elite. 2018. Disponível em: . Acessado em: 22 de março de 2018.

TOMAZINI, F.; SILVA, E. V. M. Perfil dos praticantes de corrida de uma assessoria esportiva da cidade de São Paulo: motivos para adesão. Coleção Pesquisa em Educação Física, Várzea Paulista, v. 13, n. 2, p. 135-42, 2014.

VIEIRA, L. F.; BALBIM, G. M.; PIMENTEL, HASSUMI, M. Y. S. S.; GARCIA, W. F. Estado de fluxo em praticantes de escalada e skate downhill. Motriz, Rio Claro, v. 17, n. 4, p. 591-9, 2011

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';