Motivação, autoestima e perfil socioeconômico dos praticantes de Sanda do Vale do São Francisco

Antonio Carlos Siqueira Filho, Gabriel Lucas Morais Freire, Karlla Emanuelle Ferreira Lima, Vinicius da Cruz Sousa, José Roberto Andrade do Nascimento Junior

Resumo

Introdução: A autodeterminação tem sido apontada como um importante construtor de bem-estar, autoestima e competência. A Teoria da Autodeterminação (TAD) mostra a importância do desenvolvimento da autodeterminação para a melhora dos níveis de competência, desempenho e empenho em atletas e praticantes de exercício físico. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo investigar a relação entre as regulações de motivação, a autoestima e o perfil socioeconômico de praticantes de Sanda do Vale do São Francisco. Métodos: Foram selecionados para participar do estudo todos os praticantes dos Centros de Treinamento de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), totalizando 48 indivíduos. Como instrumentos foram utilizados o Questionário de Regulação de Conduta no Exercício (BREQ-2), a Escala de Autoestima de Rosenberg e o Questionário da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP). Para a análise dos dados, foram utilizados os testes de Kolmogorov-Smirnov, “U” de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e correlação de Spearman. A significância adotada foi de p<0,05. Resultados: Os resultados evidenciaram que não houve diferença significativa (p>0,05) na motivação e autoestima dos praticantes de Sanda em função sexo, estado civil, tempo de prática e nível socioeconômico. Foram encontradas as seguintes correlações significativas (p<0,05): Regulação Identificada e Regulação Introjetada (r=0,26); Regulação Identificada e Desmotivação (r=-0,28); Regulação Introjetada e Regulação Externa (r=0,24); Regulação Externa e Amotivação (r=0,53); Amotivação e Nível socioeconômico (r=-0,22); e Autoestima e Nível socioeconômico (r=0,19). Conclusão: Concluiu-se que o sexo, o estado civil, o tempo de prática e o nível socioeconômico não são fatores intervenientes na motivação e autoestima de adultos praticantes de Sanda. Ressalta-se que foi encontrada uma relação diretamente proporcional entre o nível socioeconômico e a autoestima dos sujeitos e uma relação inversamente proporcional entre o nível socioeconômico e a desmotivação, indicando que quanto maior o poder aquisitivo, maior a autoestima e menor a desmotivação para a prática de exercício.

ABSTRACT. Motivation, self-esteem and socioeconomic profile of Sanda practitioners from Vale do São Francisco (Brasil). Background: Self-determination has been pointed as an important builder of well-being, self-esteem and competence. The Self-Determination Theory (SDT) shows the importance of developing self-determination to improve levels of competence, performance and commitment in athletes and physical exercise practitioners. Objective: The present study aimed to investigate the relationship between motivation regulations, self-esteem and socioeconomic profile of Sanda practitioners from the São Francisco Valley. Methods: All practitioners of the Petrolina (PE) and Juazeiro (BA). Training Centers were selected to participate in the study, totaling 48 individuals. The instruments used were the Exercise Conduct Regulation Questionnaire (BREQ-2), the Rosenberg Self-Esteem Scale and the Questionnaire from the Brazilian Association of Research Companies (ABEP). For data analysis, the Kolmogorov-Smirnov, Mann-Whitney “U”, Kruskal-Wallis and Spearman correlation tests were used. The significance adopted was p <0.05. Results: The results showed that there was no significant difference (p>0.05) in the motivation and self-esteem of Sanda practitioners according to gender, marital status, length of practice and socioeconomic status. The following significant correlations were found (p<0.05): Identified Regulation and Injected Regulation (r = 0.26); Identified Regulation and Demotivation (r=-0.28); Introjected Regulation and External Regulation (r=0.24); External Regulation and Motivation (r=0.53); Motivation and socioeconomic status (r=-0.22); and Self-esteem and Socioeconomic Level (r=0.19). Conclusion: It was concluded that gender, marital status, length of practice and socioeconomic status are not intervening factors in the motivation and self-esteem of adult Sanda practitioners. It is noteworthy that a directly proportional relationship was found between the socioeconomic level and self-esteem of the subjects and an inversely proportional relationship between the socioeconomic level and demotivation, indicating that the higher the purchasing power, the higher the self-esteem and the lower the demotivation to practice of exercise.

Palavras-chave

Motivação; Autoestima; Artes Marciais

Texto completo:

PDF

Referências

ABEP. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de Classificação Econômica Brasil - 2015. Disponível em: http://www.abep.org/new/. Acessado em: 01 de março de 2017.

ACEVEDO, W.; GUTIÉRREZ, C.; CHEUNG, M. Breve historia del Kung-Fu. Madrid: Nowtilus, 2010.

AZOFEIFA, E. G. Motivos de participación y satisfacción en la actividad física, el ejercicio físico y el deporte. Revista en Ciencias del Movimiento Humano y Salud, Heredia, v. 3, n. 1, p. 1-16, 2016.

BAVOSO, D.; GALEOTE, L.; MONTIEL, J. M.; CECATO, J. F. Motivação e autoestima relacionada à prática de atividade física em adultos e idosos. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, Brasília, v. 7, n. 2, p. 26-36, 2018.

BYRON, J. (Ed.). A brief history of Wushu. Disponível em: http://www.iwuf.org/wushu/2014/0926/179.html. Acessado em: 26 de março de 2017.

COSTA, E. F.; SALVADOR, E. P.; GUIMARÃES, V. V.; FLORINDO, A. A. Atividade física em diferentes domínios e sua relação com a escolaridade em adultos do distrito de Ermelino Matarazzo, Zona leste de São Paulo, SP. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 15, n. 3, p. 151-6, 2010.

DA SILVA PEDREIRA, D.; DA ROSA, A. P.; SALDANHA, R. P. Autodeterminação: relação da prática de atividade física e/ou esportiva conforme a circunferência da cintura em adolescentes. In: XIV SEFIC Unilasalle - Ciència e Tecnologia para a redução das desigualdades. Anais... SEFIC - Unilasalle, 2018.

DALBEN, A.; GÓIS JÚNIOR, E. Embates esportivos: o debate entre médicos, educadores e cronistas sobre o esporte e a educação da juventude (Rio de Janeiro e São Paulo, 1915-1929). Movimento, Porto Alegre, v. 24, n. 1, p. 161-72, 2018.

BRANDÃO, C. de O.; STRASINKI, E. W.; CAMARGO, E. J.; YOSHIDA, P. S. Atividades esportivas. Revista Faipe, Cuiabá, v. 5, n. 1, p. 1-12, 2015.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Motivation, personality, and development within embedded social contexts: an overview of self-determination theory. In: RYAN, R. (Ed.) The Oxford handbook of human motivation. Oxford: Oxford University Press, 2012. p. 85-107.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, New York, v. 11, n. 4, p. 227-68, 2000.

DONNELLY, J. E.; HILLMAN, C. H.; CASTELLI, D.; ETNIER, J. L.; LEE, S.; TOMPOROWSKI, P.; LAMBOURNE, K.; SZABO-REED, A. N. Physical activity, fitness, cognitive function, and academic achievement in children: a systematic review. Medicine and Science in Sports and Exercise, Bethesda, v. 48, n. 6, p. 1197-222, 2016.

GARBER, C. E.; BLISSMER, B.; DESCHENES, M. R.; FRANKLIN, B. A.; LAMONTE, M. J.; LEE, I. M.; NIEMAN, D. C.; SWAIN, D. P. Quantity and quality of exercise for developing and maintaining cardiorespiratory, musculoskeletal, and neuromotor fitness in apparently healthy adults: guidance for prescribing exercise. Medicine & Science in Sports & Exercise, Indianapolis, v. 43, n. 7, p. 1334-59, 2011.

GÓMEZ-LÓPEZ, M.; GALLEGOS, A. G.; ABRALDES, J. A. Analysis of self-determined motivation in basketball players through goal orientations. Collegium Antropologicum, Zagreb, v. 3, n. 37, p. 707-15, 2013.

GUCCIARDI, D. F.; JACKSON, B. Understanding sport continuation: An integration of the theories of planned behaviour and basic psychological needs. Journal of Science and Medicine in Sport, Canberra, v. 18, n. 1, p. 31-6, 2015.

GUEDES, D. P.; LEGNAN, R. F. S.; LEGNANI, E. Motivos para a prática de exercício físico em universitários de acordo com o índice de massa corporal. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 4, n. 17, p. 270-4, 2012.

HUTZ, C. S.; ZANON, C. Revisão da adaptação, validação e normatização da escala de autoestima de Rosenberg. Avaliação Psicológica, Porto Alegre, v. 10, n. 1, p. 41-9, 2011.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Sáude, 2013. Disponível em: ftp:// ftp.ibge.gov.br/PNS/2013/pns2013.pdf. Acessado em: 01 de março de 2017.

INOCENTES, R. J. M.; ALVES, P. H. M.; OLIVEIRA, P. C. G. D.; VALLE, A. L. D.; PEGORARO, L. F.; ALVES, T. C. L. P. Reabilitação estética e funcional: devolvendo a autoestima através da interdisciplinaridade. Journal of Applied Oral Science, Bauru, v. 25, p. 214, 2017.

MARKLAND, D.; TOBIN, V. A modification to the behavioural regulation in exercise questionnaire to include an assessment of amotivation. Journal of Sport and Exercise Psychology, London, v. 26, n. 2, p. 191-6, 2004.

McDERMOTT, A. Y.; MERNITZ, H. Exercise and older patients: prescribing guidelines. American Academy Of Family Physicians, Massachusetts, v. 1, n. 74, p. 437-44, 2006.

MEURER, S. T.; BORGES, L. J.; BENEDETTI, T. R. B.; MAZO, G. Z. Associação entre sintomas depressivos, motivação e autoestima de idosos praticantes de exercícios físicos. Revista Brasileiro de Ciência do Esporte, Florianopolis, v. 3, n. 34, p. 683-95, 2012.

MEURER, S. T.; BENEDETTI, T. R. B.; MAZO, G. Z. Teoria da autodeterminação: compreensão dos fatores motivacionais e autoestima de idosos praticantes de exercícios físicos. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 1, n. 16, p. 18-24, 2011.

MURCIA, J. A. M.; GONZÁLEZ, D. A permanência de praticantes em programas aquáticos baseada na Teoria da Autodeterminação. Fitness e Performance, Rio de Janeiro, v. 1, n. 6, p. 5-10, 2006.

NIVEN, A. G.; MARKLAND, D. Using self-determination theory to understand motivation for walking: Instrument development and model testing using Bayesian structural equation modelling. Psychology of Sport and Exercise, Amsterdam, v. 23, p. 90-100, 2016.

PALMEIRA, A. L.; TEIXEIRA, P.; SILVA, M. N.; MARKLAND, D. Confirmatory factor analysis of the behavioural regulation in exercise questionnaire–Portuguese Version. In: 12th European Congress of Sport Psychology. Anais… European Feder-ation of Sport Psychology, 2007, Halkidiki, 2007.

ROSÁRIO, M.; ALVES, S.; CID, L.; MOUTÃO, J. Motivação intrínseca para a prática de atividade física e bem-estar psicológico em indivíduos idosos. In: SANTOS ROCHA, R. (Org.). Atividade física em populações especiais: população idosa, populações com condições clinicas. Rio Maior: Escola Superior de Desporto, 2015. p. 95-110.

RYAN, R. M.; PATRICK, H. Self-Determination Theory and Physical Activity: The dynamics of motivation in development and wellness. Hellenic Journal of Psychology, New York, v. 6, n. 2, p. 107-24, 2009.

RYAN, R. M. Intrinsic motivation and exercise adherence. Internationl Journal of Sport Psychologist, New York, p. 335-54, 1997.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Self-determination theory: basic psychological needs in motivation, development, and wellness. New York: Guilford Publications, 2017.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Intrinsic and extrinsic motivations: classic definitions and new directions. Contemporary Educational Psychology, New York, v. 25, n. 1, p. 54-67, 2000.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Self-determination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and well-being. American Psychologist, New York, v. 5, n. 1, p. 68-78, 2000.

SANFELICE, R.; SOUZA, M. K.; NEVES, R. V. P.; DOS SANTOS ROSA, T.; OLHER, R. R.; SOUZA, L. H. R.; EVANGELISTA, A. L.; MORAES, M. R. Análise qualitativa dos fatores que levam à prática da corrida de rua. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Luis, v. 11, n. 64, p. 83-8, 2017.

SANTOS, A. C. G. Relação dos níveis de classificação nutricional e de autodeterminação para a prática regular de atividade física: um estudo em escolares de 12 a 15 anos do município de Canoas/RS e Sapucaia/RS. 2015. 103f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Desenvolvimento Humano) – Universidade La Salle, Canoas, 2015.

SÁVIO, K. E. O.; COSTA, T. H. M. D.; SCHMITZ, B. D. A. S.; SILVA, E. F. D. Sexo, renda e escolaridade associados ao nível de atividade física de trabalhadores. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 457-63, 2008.

SCHULTHEISZ, T. S. V.; APRILE, M. R. Autoestima, conceitos correlatos e avaliação. Revista Equilíbrio Corporal e Saúde, São Paulo, v. 1, n. 5, p. 36-48, 2013.

SMOUTER, L.; COUTINHO, S. S.; MASCARENHAS, L. P. G. Associação entre nível de atividade física e autoconceito de autoestima de adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, p. 455-64, 2019.

TAFARELLO, R.; DO NASCIMENTO JÚNIOR, J. R. A.; DE OLIVEIRA, D. V. Qualidade de vida e autoestima de mulheres praticantes de musculação e ginástica em academia. Cinergis, Santa Cruz, v. 16, n. 4, p. 249-54, 2015.

TIGGEMANN, M.; WILLIAMSON, S. The effect of exercise on body satisfaction and self-esteem as a function of gender and age. Sex Roles, New York, v. 43, n. 1/2, p. 119-27, 2000.

TOU, K. C. Breve síntese sobre o wushu/kungfu. Disponível em: http://www.cbkw.org.br/historia/historia-do-kungfuwushu/. Acessado em: 01 de março de 2017.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Foundations of sport and exercise psychology. 7. ed. Champaign: Human Kinetics, 2018.

YAFFE, K.; BARNES, D.; NEVITT, M. A Prospective study of physical activity and cognitive decline in elderly women. Archives of Internal Medicine, New York, v. 161, n. 14, p. 1703-8, 2001.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';