Quantificação da distância percorrida, velocidade média e máxima em um jogo de rugby em cadeira de rodas: estudo piloto

Rodolfo Argentin, Luis Felipe Castelli Correia de Campos, Luiz Gustavo Teixeira Fabricio dos Santos, Leonardo Trevisan Costa, José Irineu Gorla

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar a intensidade de esforço durante uma partida de Rugby em Cadeira de Rodas (RCR) em dois atletas com lesão medular e com classificação funcional (CF) de 1,0 e 2,5 da equipe ADEACAMP\UNICAMP – Campinas/SP. As variáveis para a análise foram à quantificação da distância percorrida, velocidade média e velocidade máxima coletadas em duas partidas de RCR. Os dados foram quantificados através do ciclocomputador modelo Velo8 do fabricante Cateye®. Os valores obtidos entre os atletas com CF-2.5 (A) e 1.0 (B) foram de: 4,8 km/h e de 3,0 km/h para a velocidade média; 8,55 Km/h e 14,95 km/h para a velocidade máxima e 2,98 km e 4,83 km para a distância total percorrida, respectivamente. Dessa forma, observou-se que os resultados apresentaram um amplo volume e intensidade de jogo por parte do atleta A em relação ao atleta B. Como também, apresentou maior regularidade entre os valores analisados nos dois jogos. Esse tipo de análise pode possibilitar aos treinadores valores reais durante o treinamento, buscando uma individualidade de treinos para atletas de diferentes classificações funcionais, fugindo do empirismo tão presente nos treinamentos de diversas equipes.

Palavras-chave


Tetraplegia; Avaliação; Rugby; Cadeira de rodas.

Texto completo:

PDF

Referências


BARFIELD, J. P. Exercise intensity during wheelchair rugby training. Journal of Sports Sciences, London, v. 28, n. 4, p. 389-398, 2010.

BORIN, J. P.; PRESTES, J.; MOURA, N. A. Caracterização, controle e avaliação: limitações e possibilidades no âmbito do treinamento desportivo. Treinamento Desportivo, Curitiba, v. 8, n. 1, p. 6-11, 2007.

BORIN, J. P; GOMES, A. C; LEITE, G. S. Preparação desportiva: aspectos do controle da carga de treinamento nos jogos coletivos. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 18, n. 1, p. 97-105, 2008.

COSTA, L. O. P; SAMULSKI, D. M. Overtraining em atletas de alto nível-uma revisão literária. Revista Brasilei¬ra de Ciência e Movimento, Brasília, v. 13, n. 2, p. 123-134, 2005.

DI ALENCAR, T.; A. M.; DE SOUSA, M. K. F.; SIQUEIRA, L. A. R.; SILVA, M. D. M. P. Overtraining/Overuse em ciclistas e seu retorno ao esporte. Revista Movimenta, Goiânia, v. 3, n. 1, 2010.

INTERNATIONAL WHEELCHAIR RUGBY FEDERATION (IWRF). Disponível em: http://iwrf.com/Layper-son%20Guide%20to%20Classification.pdf. Acesso em: 03 abr. de 2012.

LEMAY, V.; ROUTHIER F.; NOREAU L.; PHANG S. H.; GINIS K. A. Relationships between wheelchair skills, wheelchair mobility and level of injury in individuals with spinal cord injury. Spinal Cord, Avenel, v. 50, n.1, p. 37-41, 2012.

MASON, B. S.; VAN DER WOUDE, L. H. V.; GOOSEY-TOLFREY, V. L. The Ergonomics of Wheelchair Confi¬guration for Optimal Performance in the Wheelchair Court Sports. Sports Medicine, v. 43, n. 1, p. 23-38, 2013.

MAYNARD, F. M.; BRACKEN, M. B.; CREASEY, G.; DITUNNO, J. F. J. R.; DONOVAN, W. H.; DUCKER, T. B.; GARBER, S. L.; MARINO, R. J.; STOVER, S. L.; TATOR, C. H. ; WATERS, R. L.; WILBERGER, J. E.; YOUNG, W. International standards for neurological and functional classification of spinal cord injury. Spinal Cord, Avenel, v. 35, p. 266-274,1997.

MULROY, S. J.; FARROKHI S; NEWSAM C.J.; PERRY J . Effects of Spinal Cord Injury Level on the Activity of Shoulder Muscles During Wheelchair Propulsion: An Electromyographic Study. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, v. 85, p. 925-934, 2004.

SARRO, K. J.; SILVATTI, A. P. ; ALIVERTI, A. ; BARROS, R. M. L. . Proposition and evaluation of a novel me¬thod based on videogrammetry to measure 3D ribs motion during breathing. Journal of Applied Biomechanics, v. 25, p. 247-252, 2009.

SARRO, K. J.; SILVATTI, A. P.; ALIVERTI, A.; BARROS, R. M. L. de. Tracking of wheelchair rugby players in the 2008 Demolition Derby final. Journal of Sports Sciences, London, v. 28, n. 2, p. 193-200, 2010.

SZOLLAR, S. M.; MARTIN, E. M. E. Bone mineral density and indexes of bone metabolism in spinal cord injury. American Journal of Physical Medicine & Rehabilitation, Baltimore, v. 77, p. 28-35,1998.

VAN DER WOUDE, L. H. V.; BAKKER, W. H.; ELKHUIZEN, J. W.; VEEGER, H. E.; GWINN, T. Aerobic work capacity in elite wheelchair athletes: Across-sectional analysis. American Journal of Physical Medicine & Reha¬bilitation, Baltimore, v. 81, 261–271, 2002.

VERKHOSHANSKY, Y. Entrenamiento deportivo. Barcelona: Martinez Roca, 1990.

YILLA, A.; SHERRILL, C. Validating the Beck Battery of Quad Rugby Skills Tests. Adapted Physical Activity Quarterly, Champaign, v.15, n. 2, p.155-167, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário ';



Direitos autorais



Caderno de Educação Física e Esporte

Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Campus de Marechal Cândido Rondon

Rua Pernambuco, 1777 | Centro

Marechal Cândido Rondon | Paraná | 85960-000

F: (45) 3284 7855

E-mail: revista.cefe@unioeste.br

Facebook: https://www.facebook.com/RevistaCEFE/