Riscos, qualidades e sociabilidades em feiras: a perspectiva de feirantes em dois espaços de comercialização em Porto Alegre, RS

Guilherme Francisco Waterloo Radomsky, Michele Leão de Lima Ávila

Resumo

O artigo analisa a relação entre riscos alimentares, qualidade dos alimentos e as sociabilidades com base em uma pesquisa realizada em duas feiras (uma de alimentos orgânicos e outra convencional) na cidade de Porto Alegre, RS. A pesquisa envolveu observações, diálogos e entrevistas semiestruturadas com feirantes e foi realizada ao longo de cinco meses durante o ano de 2013. Os resultados mostram que riscos são considerados inescapáveis pelos feirantes, contudo as feiras representam possibilidades e potenciais contra estes. Nelas, as sociabilidades e as qualidades alimentares são construídas como sustentáculos contra relações anônimas dos grandes mercados, articulando relações de proximidades e confiança. Sinalizam, portanto, que o sistema agroalimentar difundido nas sociedades contemporâneas está conectado ao modelo de desenvolvimento moderno que vivemos e que novos valores podem emergir em mercados locais. Civismo e responsabilidade são questões fundamentais nestes contextos e os papeis das feiras, dos supermercados e da oferta de alimentos são avaliados criticamente pelos atores envolvidos.

Palavras-chave

civismo; riscos alimentares; qualidade dos alimentos; modernidade

Texto completo:

PDF