Intenções Podem Salvar Vidas? Motivações e Dificuldades de Potenciais Doadores de Sangue À Luz Do Marketing Social

Cássio Coelho, Marina Faria

Resumo

O cenário da doação de sangue no Brasil é marcado pela oferta abaixo dos padrões considerados ideias pela Organização Mundial da Saúde, levando em conta que aproximadamente 1,78% da população é doadora de sangue, sendo o índice ideal variando entre 3% e 5% da população. No país, por volta de 40% dos doadores estão na faixa etária entre 18 e 29, configurando uma parte expressiva da população. O objetivo geral desta pesquisa foi compreender as principais motivações de jovens que tem intenção de doar sangue, mas que nunca doaram, investigar as possíveis questões que dificultam a doação de sangue entre jovens e identificar possíveis motivadores para que se tornem doadores. Metodologicamente optou-se por utilizar uma pesquisa qualitativa através de técnica projetiva e entrevistas individuais de roteiro semiaberto com 19 jovens entre 18 e 29 anos. Como resultado da análise identificou-se que: os entrevistados justificam sua intenção como uma real possibilidade de salvar vidas; que não sentem pressão para doar por conta de pessoas próximas, apesar de alguns reconhecerem poder influenciar outras pessoas e; alguns são impossibilitados de doar sangue, principalmente por questões de saúde, entretanto, os outros parecem apenas não se mobilizar para doar por questões diversas já abordadas em outros estudos. O principal ponto de motivação identificado seria o da influência dos grupos de referência para fomentar o comportamento de doador. Isto sugere que ações de marketing social para doação de sangue podem ser bem-sucedidas se focadas em incentivar doadores a servirem de referência para potenciais doadores. 

Palavras-chave

Doação de sangue. Comportamento do Doador. Marketing social.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.