DEPENDÊNCIA E DESENVOLVIMENTO: INTERPRETAÇÕES SOCIOLÓGICAS DE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO E FLORESTAN FERNANDES

Giuliano Manera Longhi

Resumo

O artigo tem o intuito de analisar as interpretações sociológicas de Fernando Henrique Cardoso e Florestan Fernandes das economias latino-americanas. Dado o enfoque do estudo da revisão bibliográfica dos autores na dependência daquelas economias, trata-se como se deu o processo de ruptura no passado do chamado pacto colonial e os ciclos de desenvolvimento interno do capitalismo das sociedades latino-americanas, no contexto histórico da Revolução Industrial. Esse desenvolvimento teve diversas nuances de país a país, mas demonstrando um padrão em todos por motivos que remontam, principalmente, pelo passado das colônias e a procura, pelos estratos dominantes do setor exportador de garantir as suas posições de privilégio de dominação social e política – e agora econômica – da sociedade nacional. Isso não exclui a posição heteronômica das camadas privilegiadas em relação ao setor externo, pela necessidade de, cada vez mais, associar-se ao capital estrangeiro pelas novas formas de dominação externa do imperialismo – fator que, fundamentalmente, expõe a dificuldade das economias subdesenvolvidas em romper de vez com o passado colonial.

Palavras-chave

Dependência; Subdesenvolvimento; Capital Estrangeiro.

Texto completo:

PDF Remoto