Regime de metas de inflação: uma verificação empírica de sua eficiência

Pollyanna Paganoto Moura, Rodrigo Straessli Pinto Franklin

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal verificar a eficiência do regime de Metas de Inflação proposto pela abordagem teórica dominante do mainstream. Para tanto, percorreremos o caminho desenvolvido historicamente pela estrutura teórica de onde emergiu esse regime a fim de evidenciar a fonte de seus pilares. Em seguida, verificamos o comportamento de sua execução para uma dada quantidade de países que adotam e não adotam o regime a fim de observar o diferencial conquistado em algumas de suas variáveis como taxas de inflação, crescimento do produto e desemprego. Por fim, apresentamos as conclusões alcançadas a fim de evidenciar se há vantagens no uso de uma política monetária como o regime de Metas de Inflação, que priorize a manipulação de uma variável, ou se políticas monetárias mais ativas, que levem em conta a instrumentalização de outras variáveis, poderão alcançar resultados mais satisfatórios para a política econômica como um todo. O principal resultado obtido é que, ao mesmo tempo em que não podemos afirmar que o regime de Metas de Inflação é o modo mais eficiente para controlar a elevação do nível de preços, ele parece penalizar o desempenho de outras variáveis macroeconômicas, tais como crescimento do produto e nível de emprego, sobretudo para o caso dos países em desenvolvimento.

Palavras-chave

Metas de Inflação; Política Monetária; Produto; Emprego.

Texto completo:

PDF