MEMÓRIA, EDUCAÇÃO E CIÊNCIA: ORDEM E PROGRESSO NAS IDEIAS POSITIVISTAS LIBERAIS E CONSERVADORAS NO BRASIL

Lívia Diana Rocha Magalhães, Wilson da Silva Santos

Resumo

Este trabalho procura destacar que as pedagogias novas, forjadas na primeira metade do século XX, se apoiam nas ideias positivistas de que, na escola, todos seriam versados de maneira objetiva e justa a partir das potencialidades de cada um, ou melhor, com sua capacidade de apreender as ciências necessárias ao mundo moderno. Essa tese foi se constituindo como uma convicção insofismável na memória social, e tem sido recuperada pelo Estado Brasileiro de acordo com conjunturas especificas. Baseada em critério de utilidade, tal tese tenta adequar currículos e indivíduos nos processos formativos para o desenvolvimento moral, científico e tecnológico.  O que aludimos, neste artigo, é que, possivelmente, a pedagogia afirmativa da educação cientifica e democrática liberal, sistematizada no Brasil, principalmente por Anísio Teixeira, com base em Dewey, tem sido retomado, atualmente, com maior ou menor profundidade, não necessariamente para sustentar as premissas por ele propostas, mas sobretudo para auxiliar no uso da ordem e progresso de uma sociedade baseada em uma organização do conhecimento científico neutro, racional e meritocrático. Nesse sentido, nos parece que é fundamental uma revisita ao pensamento de Anísio Teixeira, com o intuito de ser observado quais são as suas ideias de base escolanovista acerca da ciência, escola e democracia.

Palavras-chave

Educação; Ciência; Anísio Teixeira

Texto completo:

PDF