O “CÍRCULO ANTROPOLÓGICO” E A SOCIOLOGIA DO IMAGINÁRIO: APROXIMAÇÕES ENTRE DURAND E MAFFESOLI

Eduardo Portanova Barros, Francieli Costa Berghauser

Resumo

Este artigo versa sobre aproximações possíveis entre a Teoria Geral do Imaginário de Gilbert Durand, principalmente no que diz respeito ao “círculo antropológico” (um reforço em relação ao “trajeto”), e sua relação com a Sociologia do Imaginário, sobretudo numa acepção compreensiva (derivada de Max Weber) em Michel Maffesoli. Para tanto, buscou-se uma tentativa de analogia entre as noções desses dois pensadores por meio das imagens simbólicas num e noutro. Procuramos compreender, de início, a questão do pertencimento de uma teoria em Merleau-Ponty. Seguimos com Durand e Maffesoli. Neste, o racionalismo de cunho moralista, inspirado que ele foi por Nietzsche. Depois, mas não de forma estanque, como se dá, ainda, a metodologia anarquista maffesoliana, que toma como alavanca metodológica o imaginário cotidiano. Já naquele (Durand), por sua vez, o imaginário é alógico, porque a existência humana, para ele, é antes poética do que sociológica. Conclusão: o aporte maffesoliano se baseia em uma fenomenologia do imaginário, mas não, como em Durand, numa Sociologia das Profundezas. A distinção, porém, nem sempre é excludente.

Palavras-chave

Círculo antropológico; Durand; Maffesoli; Imaginário

Texto completo:

PDF