A CONSTRUÇÃO DE UMA MEMÓRIA DE TRADUÇÃO EM SECRETARIADO EXECUTIVO

Verônica Braga Birello, Luanna Natielly de Araujo Rijo, Stéfani Rigamonte, Brenda Tauany Azevedo dos Santos

Resumo

A língua estrangeira faz parte do contexto profissional e acadêmico do secretariado executivo. O inglês, por sua vez, é a segunda língua mais falada no mundo, sendo igualmente importante para os profissionais da área. Dessa forma, este artigo é voltado para o contexto das tecnologias de tradução em contexto secretarial. Por meio dos estudos de Azenha Jr. (1999) foi possível identificar como necessidade a consolidação de uma terminologia para as áreas do conhecimento, o que se estende para o secretariado, uma vez que não foram encontrados trabalhos nessa perspectiva. Trabalhando com autores como Olher (2004), Arrojo (2013), Baker (2001) entre outros, discutiu-se a tradução técnica e seu ponto de contato com a área secretarial. A partir dessa discussão, optou-se por uma busca quantitativa por meio do programa R a fim de identificar os termos mais frequentes relacionados a área secretarial em artigos científicos de periódicos indicados pelo portal da ABPSEC – Associação Brasileira de Pesquisa em Secretariado Executivo. Dessa forma, foi possível identificar os termos, traduzi-los e propor uma memória de tradução que pudesse ser compartilhada por todos os interessados. Concluiu-se que as opções apresentadas nesse trabalho têm por finalidade tornar as publicações da área mais consistentes terminologicamente evitando o retrabalho do secretário-tradutor. Todavia, mesmo fazendo o uso da memória de tradução, cabe ao tradutor interpretar e escolher a opção que mais se alinha com o seu texto.

 

 

Palavras-chave

Memória de tradução. Secretariado executivo. Tradução Técnica.

Texto completo:

PDF

Referências

AZENHA JR., J. Tradução Técnica e Condicionantes Culturais: Primeiros Passos para um estudo integrado. São Paulo: FFLCH/USP, Humanitas, 1999.

BAKER, Mona. The pragmatics of Cross-Cultural contact and Some False Dichotomies in Translation Studies. In: OLOHAN, Maeve (Ed.). CTIS Occasional Papers. Manchester: UMIST: Manchester: Centre for Translation & Intercultural Studies, 2001. p. 7–20.

CRONIN, M. Translation and globalization. London.

JIMENEZ-CRESPO, Miguel a. The effect of Translation Memory tools in translated Web texts : Evidence from a comparative product-based study. Linguistica Antverpiensia 8, [s. l.], p. 213–232, 2010.

MACIAS-CHAPULA, Cesar A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, [s. l.], v. 27, n. 2, p. 134–140, 1998.

MÜLLER, Rodrigo; SANCHES, Fernanda Cristina. Pesquisa Acadêmica E M Secretariado Executivo : Um Estudo De Caso Na Revista Expectativa. Expectativa, [s. l.], v. XIII, n. 13, p. 09–28, 2014.

O’BRIEN, Sharon. Practical experience of computer-aided translation tools in the software localization industry. Unity in diversity, [s. l.], p. 115–122, 1998.

OLHER, Rosa Maria. Translation & discourse. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, [s. l.], v. 26, n. 1, p. 73–79, 2004.

OUSHIRO, Lívia. Tratamento de dados com o R para análises sociolinguísticas. In: FREITAG, Raquel Meister Ko. (Ed.). Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2014. p. 134–177.

POLCHLOPEK, Silvana Ayub; AIO, Michelle De Abreu. Tradução técnica: armadilhas e desafios. Tradução & Comunicação, [s. l.], n. 19, p. 101–113, 2009. Disponível em:

RIBEIRO, G. C. B. Tradução técnica, terminologia e linguística de corpus: a ferramenta Wordsmith Tools. Cadernos de Tradução, [s. l.], v. 2, n. 14, p. 159–174, 2004.

STUPIELLO, É. N. A.; OLIVEIRA, P. .. S. X. A tecnologia como meio de comunicação: implicações do uso de sistemas de memórias para a prática de tradução. Trab. Ling. Aplic., [s. l.], v. 54, n. 3, p. 569–592, 2015.

WEBB, L. Advantages and disadvantages of translation memory: A cost/benefit analysis. 1998. Monterey Institute of International Studies, [s. l.], 1998.

WEININGER, M. J. TM & MT na tradução técnica globalizada – tendências e conseqüências. Cadernos de Tradução, [s. l.], v. 2, n. 14, p. 159–174, 2004.