“CONHECE-TE A TI MESMO”: UM OLHAR PARA O CAMPO DE PESQUISA EM SECRETARIADO EXECUTIVO NO BRASIL

Fernanda Geremias Leal, Laís Silveira Santos, Mário César Barreto Moraes

Resumo

Com base no pressuposto de que a ciência social alcança níveis mais significativos de desenvolvimento quando promove diálogos entre perspectivas cognitivas diversas, o objetivo deste trabalho é identificar e analisar os paradigmas presentes no campo de pesquisa em secretariado executivo no Brasil. A exploração de 270 artigos permitiu evidenciar que parte significativa da produção parece referir-se ora à proposição de técnicas ou metodologias gerenciais voltadas à efetividade produtiva das organizações, ora à adaptação do profissional de secretariado ao contexto de trabalho. Concluiu-se que o campo tem se desenvolvido, sobretudo, segundo uma concepção funcionalista da ciência, limitada à produção de conhecimento útil e ao estímulo de uma visão processual objetiva. Assim, tende a desconsiderar a subjetividade, a historicidade e a contextualização próprias de cada meio. Diante dos achados, argumenta-se que a coexistência de interesses técnicos, prático-comunicativos e emancipatórios possibilitará ao campo de pesquisa em secretariado executivo se desenvolver com riqueza e reflexividade.

Palavras-chave

Secretariado Executivo. Campo Científico. Paradigma.

Texto completo:

PDF

Referências

ANDION, C. Por uma nova interpretação das mudanças de paradigma na administração pública. Cadernos EBAPE.BR, v. 10, n. 1, art. 1, Rio de Janeiro, mar. 2012.

ANDION, C. et al. Sociedade civil e inovação social na esfera pública: uma perspectiva pragmatista. Revista de Administração Pública, Early View, 2017.

BORDIEU, P. O campo científico. In: ORTIZ, R. (org). A sociologia de Pierre Bordieu. São Paulo: Olho d’Água, 2013.

BÍSCOLI, F.; BILERT, V. A evolução do secretariado executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. Revista Expectativa, v. 7, n. 12, p. 9-42, 2013.

BURRELL, G.; MORGAN, G. Sociological paradigms and organisational analysis. Hants: Ashgate, 1979.

CALDAS, M. Paradigmas em estudos organizacionais: uma introdução à série. In: CALDAS, M.; BERTERO, O. Teoria das organizações. Série RAE Clássicos. São Paulo: FGV, 2007.

CALDAS, M.; FACHIN, R. Paradigma funcionalista: desenvolvimento de teorias e funcionalismo nos anos 1980 e 1990. In: CALDAS, M.; BERTERO, O. Teoria das organizações. Série RAE Clássicos. São Paulo: FGV, 2007.

CAMARGO, M. et al. O perfil do profissional de secretariado executivo frente às organizações que praticam a responsabilidade social. Revista Capital Científico, v. 13, n. 2, p. 96-111, 2015.

CAMINHA, D.; ANDION, C. Sociologia da ciência: trajetória e atualidade de uma disciplina em renovação. In: VI Colóquio Internacional de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração. Florianópolis: UFSC, 2017.

CHANLAT, J. Por uma antropologia da condição humana nas organizações. São Paulo, Atlas, 1996.

DECKER, D. A secretária como agende de qualidade. Revista de Gestão e Secretariado, v. 1, n. 2, 2010.

DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1985.

DIAS, A.; SCHMIDT, C.; SANCHES, F. A pesquisa no secretariado executivo: um olhar para os periódicos científicos. In: ANTUNES, C.; NASCIMENTO, E. O conhecimento científico em Secretariado: reflexões sobre a produção acadêmica da área secretarial. João Pessoa: Ideia, 2016.

DOS-SANTOS, M. G.; PEREIRA, F. P.; BRUNO, A. L. Paradigmas em administração: são os números positivistas? In: VI Colóquio Internacional de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração, 2017. Florianópolis: UFSC, 2017.

DURANTE, D.; PONTES, E. Produção intelectual em secretariado executivo: estudo na Revista de Gestão e Secretariado (GESEC). Revista de Gestão e Secretariado, v. 6, n. 1, p. 23-47, 2015.

DURANTE, D. Produção científica em secretariado executivo: características e relevância dos trabalhos publicados no encontro nacional acadêmico de secretariado. In: ANTUNES, C.; NASCIMENTO, E. O conhecimento científico em Secretariado: reflexões sobre a produção acadêmica da área secretarial. João Pessoa: Ideia, 2016.

FARIA, J.; LEAL, A. A gestão por competências no quadro da hegemonia. In: FARIA, J. Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

FONSECA, E. et al. A secretária executiva no processo de governança corporativa na empresa familiar. Revista de Gestão e Secretariado, v. 1, n. 1, 2010.

FRANÇA FILHO, G. Para um olhar epistemológico da administração: problematizando o seu objeto. In: SANTOS, R. (org.). A administração política como campo do conhecimento. São Paulo-Salvador: Mandacaru, 2004.

GARCIA, M.; TORRES, A.; SILVA, C.; RIBEIRO, J. Uma investigação da produção científica dos graduados em secretariado executivo pela Universidade Federal do Ceará no período de 2010 a 2015. Revista de Gestão e Secretariado, v. 8, n. 1, p. 119-137, 2017.

HOELLER, P. A natureza do conhecimento em secretariado executivo. Expectativa, v. 5, n. 5, p. 139-145, 2006

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1962.

______. Posfácio. In: KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1969.

LEAL, F.; SILVA, A.; DALMAU, M. Análise das avaliações dos concursos públicos realizados pelas IFES para o cargo de Secretário Executivo sob a ótica da gestão por competência. Revista de Ciências da Administração, v. 16, n. 40, p. 191-207, 2014.

LEWIS, M.; GRIMES, A. Metatriangulação: construção teórica com base em paradigmas múltiplos. In: CALDAS, M.; BERTERO, O. Teoria das organizações. Série RAE Clássicos. São Paulo: FGV, 2007.

LIZUKA, E.; ALMEIDA, W. Produção acadêmica em secretariado: análise dos artigos da Revista de Gestão e Secretariado e da Revista Secretariado Executivo em Revista entre 2005 e 2012. Revista de Gestão e Secretariado, v. 5, n. 3, 2014.

LOBATO, M.; ALELUIA, M.; COSTA, A. Longe demais das capitais: o secretário executivo na periferia da periferia do capital. Revista de Gestão e Secretariado, v. 4, n. 3, p. 110-133, 2013.

LOBATO, M.; CALDAS, Y.; COSTA, A. Mercado de trabalho e empregabilidade sob a lógica do capital: representações sociais do secretário executivo no Amapá. Revista de Gestão e Secretariado, v. 7, n. 1, 2016.

MAÇANEIRO, M.; KUHL, M. Estado da Arte e o Rumo do Conhecimento Científico em Secretariado Executivo: Mapeamento e Análise de Áreas de Pesquisa. Revista de Gestão e Secretariado, v. 4, p. 157-188, 2013.

MARTINS, C. et al. A busca da cientificidade do Secretariado no contexto brasileiro: aspectos históricos e contemporâneos. Revista Gestão em Análise. Fortaleza, v. 6, n. 1/2, p. 270-286, jan./dez. 2017.

MARTINS; M. et al. Ferramentas de tecnologia da informação e comunicação como suporte às atividades do secretário executivo. Revista de Gestão e Secretariado, v. 6, n. 2, 2015.

MONTEIRO, C.; CROTTI, K.; SANTOS, C. Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivo - ENASEC: Um Estudo Bibliométrico. Revista de Gestão e Secretariado, v. 7, n. 3, 2016.

MORGAN, G. Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações. In: CALDAS, M.; BERTERO, C. Teoria das organizações. Série RAE Clássicos. São Paulo: FGV, 2007.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa, Instituto Piaget, 2003.

MULLER, R.; SANCHES, F. Pesquisa acadêmica em secretariado executivo: um estudo de caso na Revista Expectativa. Revista Expectativa, v. 13, n. 13, 2014.

NASCIMENTO, E. Pesquisa aplicada e interdisciplinaridade: da linguística ao secretariado. In: DURANTE, D. (org.). Pesquisa em Secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: UPF, 2012.

NONATO JÚNIOR, Raimundo. Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2009.

PAES DE PAULA, A. P. Repensando os estudos organizacionais: para uma nova teoria do conhecimento. São Paulo: FGV, 2015.

ROGEL, G.; SHIMOURA, A. S.; ALMEIDA, W. G. Mudanças de paradigmas na gestão do profissional de secretariado. Revista de Gestão e Secretariado, v. 1, n. 1, p. 46-46, 2010.

SABINO, R.; MARCHELLI, P. O debate teórico−metodológico no campo do secretariado: pluralismo e singularidades. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 7, n. 4, dez. 2009.

SANCHES, F.; SCHMIDT, C.; DIAS, A. Os avanços da pesquisa em secretariado executivo: uma análise dos periódicos científicos nacionais. Revista Capital Científico, v. 12, n. 4, 2014.

SANTOS, E. O campo científico da administração: uma análise a partir do círculo das matrizes teóricas. Cadernos EBAPE.BR, v. 15, n. 2, art. 2, Rio de Janeiro, Abr./Jun. 2017.

SARTORI, T. Comportamento organizacional: um estudo de satisfação de secretários executivo no Estado do RI. Revista de Gestão e Secretariado, v. 2, n. 1, p. 32-55, 2011.

SERVA, M. O surgimento e o desenvolvimento da epistemologia da Administração: Inferências sobre a contribuição ao aperfeiçoamento da teoria administrativa. Revista Gestão Organizacional, v. 6. pp. 51-64. Edição especial, 2013.

______. Prefácio. In: PAES DE PAULA, A. P. Repensando os estudos organizacionais: por uma nova teoria do conhecimento. São Paulo: FGV, 2015.

SILVA, J.; BARROS, C.; NASCIMENTO, A. Cenário da produção bibliográfica nacional em secretariado nos anos de 2004 a 2013. Revista Capital Científico, v. 14, n. 2, Abr./Jun 2016.

SOUSA SANTOS, B. Um discurso sobre as ciências. Coimbra: Edições Afrontamento, 1988.

WESTWOOD, R; CLEGG, S. Debating Organization. Oxford: Blackwell Publishing, 2003.