A AUTOPERCEPÇÃO DO PROFESSOR COMO AGENTE DE PREVENÇÃO NO CONSUMO DE DROGAS

Carlos Dumas Gomes, João Pedro Pezzato

Resumo

A Organização das Nações Unidas para a Educação (UNESCO)
distinguiu a escola como uma das instituições mais privilegiadas
para a realização de ações preventivas, dentre essas a prevenção do uso indevido de drogas. O professor é apontado como "mediador privilegiado" nas abordagens preventivas dentro das escolas (ABEAD, 1996). Nesse contexto, buscamos entender como ele se percebe dentro dessa estratégia preventiva. Para isso utilizamos uma abordagem qualitativa, tendo como ferramenta principal o grupo focal. Foram observados dois grupos de professores; um pertencente
á escoia municipal e o outro, à escola privada. Apesar de perceberem a sua importância e potencialidade para influenciar positivamente os seus alunos, os professores não entendem que a estrutura curricular vigente seja satisfatória para a implementação dessas medidas.

Texto completo:

PDF