ARTE E ARTISTA: O PROCESSO DE SACRALIZAÇÃO E A DOCÊNCIA EM ARTES

Késsia Mendes Barbosa

Resumo

Este artigo analisa as relações entre a sacralização da arte e do artista e os entraves à prática docente em artes. O conceito de sacralização, com referência em Bourdieu, é considerado estratégia de campo e fruto de um processo histórico-social de uma rede de relações que consagra e mistifica a obra de arte e o artista e gera sua subtração do conjunto da vida. O ensino das artes, a função docente e os processos de formação profissional frente à sacralização sofrem da impossibilidade de pleno desenvolvimento de seus agentes. Percebe-se que a concepção sacralizadora da arte presentifica-se permeando desde a História de vida até a formação de professores. A prática docente é então revisitada questionando os mitos e desafios da sacralização, propondo, com base em Bourdieu, o desenvolvimento do habitus da prática cultural, no qual a experiência estética é condição e produto de uma maior convivência com o mundo das artes e papel primordial da escola.

Texto completo:

PDF