Condição de pobreza e a vulnerabilidade da mulher brasileira

Augusta Pelinski Raiher

Resumo

O objetivo deste artigo é o de analisar a sobre-representação da pobreza feminina no Brasil e em seus estados, no ano de 2013, identificando os fatores que elevam a probabilidades das famílias chefiadas por mulheres se inserirem na condição de pobreza. Para isso, utilizando os dados da PNAD de 2013, mensurou-se os  percentuais de domicílios chefiados por mulheres que estão inseridos na condição de pobreza, comparando com os valores  masculinos. Na sequencia, via estimação Logit, identificou os fatores que afetam tal inserção. Como corolário, observou-se a existência de uma sobre-representação feminina na pobreza no Brasil, concentrando-se de forma mais abrupta nas regiões Norte e Nordeste, atingindo de forma mais efetiva as mulheres negras, pardas e indígenas. Dentre os fatores que elevam as chances de um domicílio chefiado por mulher estar abaixo da linha da pobreza, teve-se: ser da região Norte/Nordeste, ter apenas  a presença da mãe no domicílio, não estar ocupada (no âmbito do trabalho formal), e o tamanho da família. Os fatores que tendem a diminuir tal probabilidade foram: ser da zona urbana, ser da cor branca, escolaridade, idade, e idade que a mulher começou a trabalhar.

Palavras-chave

Condição de Pobreza; Gênero; Sobre-representação feminina

Texto completo:

PDF