INCENTIVOS À FORMAÇÃO DE APLs NO BRASIL: A atual distribuição espacial das iniciativas e evidências de uma falsa política industrial

Ricardo Schmidt Filho, Nilson Maciel de Paula

Resumo

Os arranjos produtivos locais (APLs) têm estado em evidência tanto no campo teórico quanto da execução de políticas industriais, a 0partir dos quais um novo referencial foi construído para a análise da atividade industrial no Brasil. Dessa forma, a discussão sobre o processo de desenvolvimento regional passou a envolver, mesmo que indiretamente, a dimensão espacial da atividade econômica, na qual a aglomeração industrial passou a ter grande relevância, em função das expectativas de geração de emprego e renda daí resultantes. Uma particularidade dos APLs, evidenciada neste artigo, diz respeito à sua conversão em instrumento de política pública, como tal perdendo sua essência derivada da sinergia construída pelas empresas. Assim, este trabalho contém uma análise sobre a atual distribuição dos incentivos aos APL´s no país, tendo por base o perfil (setorial e tecnológico) que estas vem revelando nos últimos anos. Essa investigação permitiu revelar que as “vantagens e vocações locais”, associadas a aglomerações historicamente construídas não necessariamente lastreiam a execução de políticas públicas voltadas aos APLs. Sendo assim, essas políticas estão mais próximas de uma política social regional de distribuição de renda do que propriamente de uma política Industrial. E mais, mesmo que possam melhorar as condições competitivas regionais, não contribuem para transformações acentuadas no padrão de desigualdades entre as regiões do país.

Palavras-chave

Arranjo Produtivo Local; desenvolvimento regional; política industrial

Texto completo:

PDF