A FEMINIZAÇÃO DA POBREZA NO BRASIL E SEUS DETERMINANTES

Virginia de Souza, Camila Penteado, Rafaelly do Nascimento, Augusta Pelinski Raiher

Resumo


Este artigo teve como objetivo analisar a feminização da pobreza nos anos de 2001 e 2015 no Brasil, identificando os fatores associados a esse processo. Como metodologia, construiu-se uma medida para a pobreza considerando uma abordagem mista (quantitativo e qualitativo), utilizando os dados da Pnad. Na sequência, estimou-se modelos Logit visando identificar os fatores que elevam a probabilidade de se ter a feminização da pobreza no Brasil. O estudo apontou que houve diminuição dos níveis de pobreza no Brasil, para os anos de 2001 e 2015. No entanto, ocorreu um aumento na diferença entre o percentual de domicílios chefiados por mulheres inseridas na pobreza versus os chefiados por homens. Ademais, dentre os determinantes dessa feminização identificou-se a baixa escolaridade, a falta de trabalho, a presença de criança no domicílio, dentre outros fatores, identificando uma maior probabilidade de se inserir nesse processo as mulheres negras/pardas/indígenas da região Norte/Nordeste do Brasil.

Palavras-chave


Feminização da pobreza. Determinantes. Brasil.

Texto completo:

PDF


INFORME GEPEC


e-ISSN: 1679-415X — ISSN: 1676-0670 (descontinuado em 2010)

Unioeste
Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Informe Gepec- PGDRA
Rua da Faculdade, 645
Jardim La Salle - Toledo - Paraná
85903-000

[
revista.gepec@gmail.com ]