Industrialização E Emprego Formal: Notas Para O Nordeste, Bahia E Ceará – 1998/2008

Luís Abel da Silva Filho, Silvana Nunes de Queiroz

Resumo

as transformações macroeconômicas do final do século XX promoveram configurações significativamente elevadas na dinâmica produtiva e no mundo do trabalho. Nesse âmbito, este artigo objetiva analisar a dinâmica econômica e o emprego formal na indústria comparando o Nordeste e os estados do Ceará e da Bahia - 1990-2008. Metodologicamente utiliza-se uma revisão de literatura acerca da dinâmica do mercado de trabalho industrial, além de dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). A dinâmica industrial se assemelha tanto em âmbito regional como estadual. O estado da Bahia se configura com estrutura produtiva um tanto diferenciada da sua região e acentuadamente diferente da cearense. Em 2008, observou-se maior aproximação entre as unidades pesquisadas. Notificou-se maior concentração de empregos em setores tradicionais da indústria, com mais de 70,0% dos trabalhadores do sexo masculino no Nordeste a na Bahia, seguido da alta rotatividade da mão-de-obra, tanto regional quanto nos dois estados comparados. Registrou-se elevado percentuais de trabalhadores auferindo rendimentos em até 2 Salários Mínimos (SM), com maior percentual registrado no Ceará (86,2%). Ao longo dos anos, também foi constatado melhorias no nível de escolaridade da mão-de-obra industrial, e, contrariamente ao esperado, redução na média salarial auferida pelos trabalhadores.

Palavras-chave

Dinâmica Industrial; Emprego Formal; Nordeste; Ceará; Bahia.

Texto completo:

PDF