CHAMADA DE PUBLICAÇÕES: COMUNICADO SOBRE A EDIÇÃO DO VOLUME 20 (2019)

CHAMADA DE TRABALHOS PARA A REVISTA LÍNGUAS&LETRAS -  Vol. 20, nº 46, 47 e 48 (2019)

 

Prezados leitores e autores,

Apresentamos as chamadas para publicação na Revista Línguas&Letras para 2019. A partir de 2015, a revista tornou-se quadrimestral. Essa nova periodicidade deve-se à qualidade dos textos submetidos ao periódico e aprovados por pareceristas no sistema duplo cego e às políticas de circulação e divulgação do periódico pelos indexadores nacionais e internacionais. A partir do número especial publicado em 2016, com o dossiê “Literatura e decolonialidade: desafios contemporâneos”, os artigos da Línguas&Letras passaram a incluir o  DOI. O propósito é dar ampla visibilidade aos resultados das investigações científicas, aspecto fundamental para que as pesquisas resultem em avanços de conhecimento e propiciem o debate nas áreas de Linguística, Literatura, Artes e afins.

Assim, anunciamos os temas da seção “Dossiê” para o ano de 2019 e respectivo calendário para submissão. Informamos que permanecem as seções “Estudos Linguísticos” e “Estudos Literários”, com submissão de artigos em fluxo contínuo. 

 

 

1º QUADRIMESTRE, V. 20, N. 46 (MAIO DE 2019) - CHAMADA PARA SUBMISSÕES: ATÉ 31/03/2019

 

DOSSIÊ: ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS NO CONTEXTO ATUAL: REFLEXÃO E RESISTÊNCIA


Ementa: O Brasil tem sofrido perdas significativas no que diz respeito aos direitos da população, entre os quais se destacam os constantes ataques à educação pública, mascarados de modernização ou declaradamente apresentados como política de contenção de gastos. Tais questões impactam na formação e atuação de professores de modo geral e de modo muito intenso particularmente na daqueles profissionais que atuam no ensino de línguas estrangeiras, dado que vários são os exemplos de ataques diretos a essas disciplinas: o seu lugar na nova configuração do Ensino Médio, a revogação da chamada Lei do Espanhol, as novas orientações referentes ao funcionamento dos Centros de Línguas Estrangeiras no país etc. Em vista de tal panorama, a proposta deste dossiê é reunir textos que analisem a mencionada situação do ensino de línguas estrangeiras no país. Esperam-se, por exemplo, trabalhos que reflitam sobre o impacto dessas políticas sobre os cursos de Licenciatura em Letras e o mercado de trabalho do professor de línguas estrangeiras, em especial para aquele que atua em Centros Estaduais de Línguas Estrangeiras ou em escolas públicas e privadas de ensino fundamental e médio. Ademais, o dossiê espera receber também artigos que examinem estratégias de resistência e propostas para o enfrentamento da questão.


Organização do dossiê: Profa.  Dra. Maricélia Nunes dos Santos (UNIOESTE); Profa. Dra. Andreia dos Santos Menezes (UNIFESP).

 

1er cuadrimestre, v. 20, n. 46 (mayo de 2019) – petición para sumisiones: hasta el 31/03/2019

 

DOSIER: ENSEÑANZA DE LENGUAS EXTRANJERAS EN EL CONTEXTO ACTUAL: REFLEXIÓN Y RESISTENCIA

 

Materia propuesta: Brasil ha sufrido pérdidas significativas respecto a los derechos de la población, entre los cuales se destacan los constantes ataques a la educación pública, mascarados de modernización o declaradamente presentados como políticas de reducción de gastos. Tales cuestiones impactan en la formación y actuación de profesores de modo general y de modo muy intenso particularmente en aquellos profesionales que actúan en la enseñanza de lenguas extranjeras, pues varios son los ejemplos de ataques directos a esas asignaturas: su lugar en la nueva configuración de la enseñanza media, la revocación de la llamada Ley del Español, las nuevas orientaciones referentes al funcionamiento de los centros de lenguas extranjeras en el país etc. En vista de tal panorama, la propuesta de este dosier es reunir textos que analicen la mencionada situación de la enseñanza de lenguas extranjeras en el país. Se esperan, por ejemplo, trabajos que reflexionen sobre el impacto de esas políticas en la licenciatura en Letras y el mercado de trabajo del profesor de lengua extranjera, en especial para aquel que actúa en centros de lenguas extranjeras o en escuelas públicas y privadas de enseñanza fundamental y media. Además, el dosier espera recibir también artículos que examinen estrategias de resistencia y propuestas de enfrentamiento de la cuestión.

 

 

1st quadrimester, v. 20, n. 46 (May 2019) – Call for Submissions: 31/03/2019

 

DOSSIER: TEACHING OF FOREIGN LANGUAGES IN THE CURRENT CONTEXT: REFLECTION AND RESISTANCE

Summary: Brazil has suffered significant losses in terms of the population rights, among them are the constant attacks on public education, masquerading as modernization or declared as a cost containment policy. These issues impact on the formation and performance of teachers in general and particularly in those professionals who work in the teaching of foreign languages, since there are several examples of direct attacks on these disciplines: their place in the new configuration of high school Teaching, the revocation of the so-called Spanish Law, the new guidelines regarding the functioning of the Foreign Language Centers in the country, etc. In view of such a prospects, the proposal of this dossier is to gather texts that analyze the mentioned situation of the teaching of foreign languages in the country. It is expected, for example, works that reflect on the impact of these policies on Bachelor's degree courses and the labor market of the foreign language teacher, especially for those who work in State Centers of Foreign Languages or in public schools and primary and secondary education. In addition, the dossier also hopes to receive articles that examine strategies of resistance and proposals to address the issue.

 

 

2º QUADRIMESTRE, V. 20, N. 47 (AGOSTO DE 2019) CHAMADA PARA SUBMISSÕES: ATÉ 31/07/2019

 

Dossiê: LITERATURA INFANTIL: DIÁLOGOS E INTERFACES

Ementa: A produção literária para crianças e jovens nas décadas de 1980 e 1990 acentuou-se como um discurso válido e possível de análise em várias áreas de estudo, principalmente na área de Letras, como demonstra documento elaborado por Nádia Gotlib (1995) ao CNPq, em que a autora avalia os principais grupos emergentes nos estudos teóricos na área de Letras: a literatura feita por mulheres, a literatura africana, a literatura popular (oral e de cordel) e a literatura infanto-juvenil.  De lá para cá, por certo, o mercado editorial alargou suas perspectivas colocando em circulação vários livros para infância que ora escritos especificamente para este público, ora nascidos para o mundo adulto recebem atenção do escritor/pesquisador, dos mediadores e chegam até as crianças. Desse modo, a literatura escrita e a não escrita para infância se entrelaçam e recebem os mesmos meios de circulação. Tais encontros, não pouco frequentes, proporcionam a ruptura de antigos paradigmas e permitem aproximações que revelam a tenuidade das suas fronteiras, permitindo vislumbrar lugares em que as delimitações por vezes são desfeitas, revelando a potencialidade da Literatura Infantil. Nessa esteira, este Dossiê busca acolher trabalhos que discutam esta interface e que investiguem o trânsito da literatura infantil e juvenil por espaços literários que lhe são pouco comuns.

Palavras-chave: Literatura Infantil e Juvenil. Interfaces. Literatura Comparada.

 

Organização do Dossiê: Profa. Dra. Cynthia Valente(UFSC); Profa. Dra Eliane Santana Dias Debus (UFSC).

 

Dosier: LITERATURA INFANTIL: DIÁLOGOS E INTERFACES

Materia propuesta: La producción literaria para niños y jóvenes en las décadas de 1980 y 1990 se acentuó como un discurso válido y posible de análisis en diversos campos de estudio, sobre todo en el área de Letras, como demuestra el texto elaborado por Nádia Gotlib (1995) al CNPq, en el cual la autora evalúa los principales grupos emergentes en los estudios teóricos en el área de Letras: la literatura hecha por mujeres, la literatura africana, la literatura popular (oral y de cordel) y la literatura infantil y juvenil. Desde entonces, por cierto, el mercado editorial extendió sus perspectivas poniendo en circulación varios libros para la infancia que ora escritos específicamente para este público, ora nacidos para el mundo adulto, reciben atención del escritor/investigador, de los mediadores y llegan hasta los niños. De este modo, la literatura escrita y la no escrita para la infancia se entrelazan y reciben los mismos medios de circulación. Dichos encuentros, no poco frecuentes, proporcionan la ruptura de antiguos paradigmas y permiten acercamientos que revelan la tenuidad de sus fronteras, permitiendo vislumbrar lugares donde las delimitaciones a veces son deshechas, revelando la potencialidad de la Literatura Infantil. En esa dirección, este dosier busca reunir trabajos que discutan esa interface y que investiguen el tránsito de la literatura infantil y juvenil por espacios literarios que le son poco comunes.

 

Dossier: CHILDREN'S LITERATURE: DIALOGUES AND INTERFACES

The literary production for children and youngsters in the 1980s and 1990s has become a valid and possible discourse of analysis in several areas of study, especially in the area of Literature, as shown in a document prepared by Nádia Gotlib (1995) at CNPq , in which the author evaluates the main emerging groups in the theoretical studies in Literature: literature by women, African literature, popular literature (oral and cordel) and children's literature. Since then, of course, the publishing market has broadened its perspectives by putting in circulation several books for children that are specifically written for this audience. Now born to the adult world they receive attention from the writer / researcher, the mediators, and even the children. In this way, written and unwritten literature for childhood intertwines and receives the same means of circulation. These encounters, not infrequently, provide rupture of old paradigms and allow approximations that reveal the tenuity of their borders, allowing us to glimpse places where delimitations are sometimes undone, revealing the potentiality of Children's Literature. In this wake, this Dossier seeks to host works that discuss this interface and investigate the transit of children's and young people's literature through literary spaces that are uncommon.

Keywords: Children and Youth Literature. Interfaces. Comparative literature.

 

 

3º quadrimestre, v. 20, n. 48 (Novembro de 2019) Chamada para submissões: até 30/11/2019

 

Dossiê: LÍNGUAS DE SINAIS – CONQUISTAS E DESAFIOS

O estudo das línguas de sinal chegou definitivamente para ficar na segunda metade do século XX. Os esforços dos linguistas que trabalharam nos anos 60, 70 e 80 não só demonstraram a necessidade de conhecer a gramática dessas línguas e deram relevância aos problemas que seus usuários têm para desenvolver com elas uma vida plena em experiências comunicativas. Também fizeram com que a comunidade científica se desse conta de que para a compreensão global e cabal da linguagem humana é imprescindível dar-lhe atenção no âmbito da linguística. Agora, em pleno século XXI, isso não se questiona. A compreensão que se tem na atualidade acerca da estrutura e do funcionamento das línguas de sinal, tanto no nível discursivo como no gramatical, é vasta e profunda. O mesmo se pode dizer no que concerne a outras questões que requerem conhecimento linguístico (bilinguismo, política linguística, aquisição da primeira língua ou déficit de linguagem, para apresentar alguns exemplos). Não obstante, as equipes de investigadores que se ocupam desses problemas, já com altos níveis de especialização, seguem identificando necessidades que requerem abordagem para seguir garantindo o êxito das pesquisas. Este volume se propõe como objetivo identificar algumas dessas necessidades e problemas enfrentados pela comunidade científica envolvida no estudo das línguas de sinais. Pretendemos com ele promover uma parada para olhar para trás, de tal maneira que esse olhar retrospectivo nos permita avaliar algumas das conquistas alcançadas. Mas a tarefa ficaria incompleta se não olhássemos também para frente, com visão retrospectiva, para tratar de algumas pistas sobre até onde avançar e com que ferramentas. Com essa edição especial da Revista, buscamos reunir artigos cujas contribuições para a área sejam relevantes e ao mesmo tempo, na medida do possível, inovadoras. Espera-se que os artigos submetidos contemplem, entre outros aspectos, uma revisão teórica e articulada da literatura, a fim de apresentar ao leitor o estado da arte acerca do tema abordado, assim como a descrição dos procedimentos e/ou métodos adotados para a análise dos dados, quando esse seja o caso, e discussões que apontem caminhos e/ou perspectivas futuras para o desenvolvimento do tema abordado. Serão aceitos, preferencialmente, artigos inéditos sobre as diversas temáticas de seu alcance.

 

Alguns possíveis temas:

- Presente e futuro da linguística de corpus aplicada às línguas de sinais

- Ética e responsabilidade social (incluir o desafio de como enfrentar a proteção de dados)

- Desafios na educação bilíngue de pessoas surdas

- Problemas na definição de unidades gramaticais

- Descrição de gramáticas de línguas de sinais

- Novos desafios na política linguística (mais além do reconhecimento do status, o que fazer para que as pessoas surdas vejam seus direitos linguísticos reconhecidos?)

- Dicionários bilíngues e monolíngues no âmbito das línguas de sinais

- Estudos de fenômenos linguísticos no contexto das línguas de sinais

- Trajetória histórica e evolução das línguas de sinais no mundo e/ou nos países de uso, ao longo do tempo.

 

Organização do dossiê: Prof. Dr. Jorge Bidarra (UNIOESTE); Profa. Dra. María Del Carmen Cabeza Pereiro (UVIGO/Espanha)

 

 

Dosier: LENGUAS DE SEÑAS – CONQUISTAS Y DESAFÍOS

El estudio de las lenguas de señas llegó definitivamente para quedarse en la segunda mitad del siglo XX. Los esfuerzos de los lingüistas que trabajaron en los años 60, 70 y 80 no solo demostraron la necesidad de conocer la  gramática de estas lenguas y pusieron de relieve los problemas que tienen sus usuarios para desarrollar con ellas un vida plena en experiencias comunicativas, también hicieron que la comunidad investigadora cayera definitivamente en la cuenta de que para la comprensión global y cabal del lenguaje humano es imprescindible darles cabida en el espacio de la lingüística. Ahora, en pleno siglo XXI, esto no se pone en cuestión. La comprensión que se tiene en la actualidad de la estructura y el funcionamiento de las lenguas de señas, tanto en el nivel discursivo como en el gramatical, es vasta y profunda. Lo mismo se puede decir en lo que concierne a otras cuestiones que requieren de conocimientos lingüísticos (bilingüismo, política lingüística, adquisición de la primera lengua o déficits de lenguaje, por poner algunos ejemplos). No obstante, los equipos investigadores que se ocupan de estos problemas, ya con altos niveles de especialización, siguen identificando necesidades que requieren ser abordadas para seguir garantizando el éxito de las investigaciones.  Este volumen se plantea como objetivo identificar algunas de estas necesidades y problemas a los que se enfrenta la comunidad investigadora involucrada en el estudio de las lenguas de señas. Pretendemos con él hacer un alto en el camino para mirar atrás, de tal manera que esa mirada retrospectiva nos permita evaluar algunos de los logros conseguidos. Pero la tarea quedaría incompleta si no miráramos además hacia adelante, con visión prospectiva, para tratar de tratar algunas pistas sobre hacia dónde avanzar y con qué herramientas. Con esa Edición Especial de la Revista, buscamos reunir artículos cuyas contribuciones para el área sean relevantes y a la vez, a medida de lo posible, innovadoras. Se espera que los artículos sometidos contemplen, entre otros aspectos, una revisión teórica y articulada de la literatura, a fin de presentar al lector el estado del arte acerca del tema abordado, así como la descripción de los procedimientos y/o métodos adoptados para el análisis de datos, cuando ese sea el caso, y discusiones que apunten caminos y/o perspectivas futuras para el desarrollo del tema abordado. Se aceptarán, preferentemente, artículos inéditos sobre las diversas temáticas de su alcance.

 

Algunos posibles temas:

 

-           Presente y futuro de la lingüística de corpus aplicada a las lenguas de señas

-           Ética y responsabilidad social (incluir el reto de cómo afrontar la protección de datos)

-           Desafíos en la educación bilingüe de las personas sordas

-           Problemas en la definición de unidades gramaticales

-           Descripción de Gramáticas de las Lenguas de Señas

-           Nuevos retos en política lingüística (más allá del reconocimiento del estatus, ¿qué hay que hacer para que las personas sordas vean reconocidos sus derechos lingüísticos?)

-           Diccionarios Bilingües y Monolingües en el ámbito de las Lenguas de Señas

-           Estudios de Fenómenos Lingüísticos en el contexto de las Lenguas de Señas

-           Trayectoria histórica y Evolución de las Lenguas de Señas en el mundo y/o en los países de uso, a lo largo del tiempo.

 

Dossier: LANGUAGES OF SIGNS - CONQUESTS AND CHALLENGES

The study of sign languages definitely came to stay in the second half of the twentieth century. The efforts of the linguists who worked in the 60s, 70s and 80s demonstrated the need to know the grammar of these languages and gave relevance to the problems that its users have to develop with them a full life in communicative experiences. They have also made the scientific community realize that for the global and comprehensive understanding of human language it is imperative to pay attention to the  linguistics field. Now, in the 21st century, this is not questioned. The current understanding of the structure and functioning of sign languages at both the discursive and grammatical levels is vast and profound. The same can be said about other issues requiring linguistic knowledge (bilingualism, language policy, first language acquisition or language deficit, to present some examples). Nonetheless, teams of researchers dealing with these problems, already with high levels of expertise, continue to identify needs that require an approach to further ensure research success. This volume aims to identify some of these needs and problems faced by the scientific community involved in the study of sign languages. We intend with him to promote a stop to look back, in such a way that this retrospective look allows us to evaluate some of the achieved achievements. But the task would be incomplete if we did not look ford too, with hindsight, to address some clues about how far forward and with what tools. With this special edition of the Journal, we seek to gather articles whose contributions to the area are relevant and at the same time, as far as possible, innovative. It is hoped that the submitted articles will contemplate, among other aspects, a theoretical and articulated revision of the literature, in order to present to the reader the state of the art on the subject addressed, as well as the description of the procedures and / or methods adopted for the analysis of the data, when this is the case, and discussions that point out ways and / or future perspectives for the development of the topic addressed. It will be accepted, preferably, unpublished articles on the various themes of its scope.

Some possible topics:

- Present and future of corpus linguistics applied to sign languages

- Ethics and social responsibility (include the challenge of how to tackle data protection)

- Challenges in bilingual education of deaf people

- Problems in defining grammatical units

- Description of sign language grammars

- New challenges in language policy (beyond recognition of status, what to do for deaf people to see their recognized linguistic rights?)

- Bilingual and monolingual dictionaries in the field of sign languages

- Studies of linguistic phenomena in the context of sign languages

- Historical trajectory and evolution of sign languages in the world and / or countries of use, over time.

 


 

 

 

 

A Equipe Editorial da Revista Línguas & Letras agradece a toda a comunidade acadêmica de Letras e áreas afins, que tem prestigiado este periódico com artigos, ensaios, entrevistas e traduções de reconhecido interesse para a pesquisa nas Áreas de Linguística, Literatura, Artes e afins.

 

Cordialmente,

 

Profa. Dra, Lourdes Kaminski Alves

Editora científica da Revista Linguas&Letras

 

 

 


 

 

Revista Línguas & Letras


e-ISSN: 1981-4755 — ISSN: 1517-7238

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Letras 

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

E-mail: revistalinguaseletras@gmail.com

Diretrizes para Autores

Normas para Publicação dos trabalhos 

 

Os trabalhos submetidos devem:

1) ser originais e inéditos;

2) apresentar título na língua do artigo e em inglês (obrigatoriamente);

3) a primeira lauda deve iniciar com o título em português (ou na língua estrangeira do texto, caso o artigo seja todo escrito em língua estrangeira);

 

4) o cabeçalho deve ser seguido pelo resumo do artigo, expressando de forma clara a ideia do trabalho. Apresentar um resumo de até 250 palavras, na língua do artigo e em seguida o respectivo resumo em inglês, abstract;

 

 5) o artigo deverá conter até 18 laudas;

 

 6) os textos deverão ser digitados nos programas Microsoft Word, Open Office ou compatível, em papel tamanho A4, com as seguintes configurações:

— Fonte Times New Roman.

— Tamanho da Fonte: 12.

— Título: centralizado, sem caixa alta, em maiúsculo.

— Nome do autor: considerando que as normas da revista exigem uma avaliação cega por pares, os autores não devem colocar seus nomes no corpo do texto podendo optar por escrever Autor1, Autor2 para indicar que o trabalho tem mais de um autor.

— Subtítulos: em caixa alta sem negrito, à margem esquerda do texto.

— Margens da página: superior – 3 cm; inferior – 2 cm; esquerda – 3 cm; direita– 2 cm.

— Espaçamento 1,5 linhas.

7) os textos em língua portuguesa deverão ser redigidos conforme a norma de apresentação de artigos da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT – NBR6022, de maio de 2003. Para os artigos em língua estrangeira deverão ser utilizadas as normas: MLA (na área de literatura) e APA (para os artigos de estudos linguísticos). Para artigos que sejam traduzidos da língua estrangeira para a portuguesa, deverão ser utilizadas as normas ABNT;

8) as citações no corpo do texto deverão ser redigidas de acordo com o padrão estilístico correspondente a cada área: artigos em língua estrangeira- Literatura - (MLA), Linguística (APA) e  artigos em português – ABNT. Favor consultar Normas para Citação: NBR10520, para Referência NBR6023, ambas de 2002;

9) palavras-chave devem vir logo abaixo do resumo em português e também adicionadas em inglês, logo abaixo do abstract. Em ambos os casos, devem ser separadas por ponto final. Sugere-se a utilização de três a cinco termos (no máximo);

10) os textos não deverão ser paginados;

11) os textos não devem conter identificação do(s) autor(es).

Importante: Os textos serão submetidos aos Conselhos Editorial e Consultivo da revista e serão analisados atendendo à periodicidade da publicação. Caberá aos Conselhos decidir sobre a aceitação ou não do trabalho, e fazer sugestões relativas tanto à apresentação quanto às exigências editoriais. Os textos que não estiverem de acordo com as Normas Editoriais serão devolvidos para que sejam feitas as devidas alterações.

Para conhecer mais sobre as normas e diretrizes da revista:

 

http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/about/submissions#authorGuidelines

 

Os textos submetidos devem ser enviados via sistema para serem submetidos à avaliação de pares.

 

Para acessar a revista (usuários já cadastrados ou criar um login e senha) basta clicar neste link:

 

 http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/about/submissions