CHAMADA DE PUBLICAÇÕES: COMUNICADO SOBRE A EDIÇÃO DO VOLUME 21 (2020)

Chamada para artigos Línguas&Letras vol. 21, n. 49 (Março de 2020) Chamada para submissões: até 30/03/2020 Previsão para publicação: 25 de abril de 2020.

 

DOSSIÊ: ESTUDOS DIALÓGICOS E INCURSÕES NA PRÁTICA DOCENTE

 

Ementa: A abordagem dialógica da linguagem, sustentada pelos estudos do Círculo de Bakhtin, tem ganhado espaço dentro das pesquisas contemporâneas inscritas na área da Linguística Aplicada, as quais têm procurado traçar diferentes perspectivas de investigação, sempre focadas nas práticas sociais de uso da linguagem. Por já existir um amplo campo de estudos ancorados pelos escritos de Bakhtin e do Círculo, entendemos que é preciso abrir mais espaços para divulgar esses estudos e tornar tal perspectiva teórica mais próxima possível daqueles que trabalham/pesquisam a linguagem imbricada à constituição do sujeito e do ensino. Em vista disso, a proposta deste dossiê é reunir textos que contribuam para o aprofundamento dos aspectos temáticos dos escritos do Círculo, na perspectiva de alargar/aprofundar conhecimentos que possibilitem ampliar as possibilidades de trabalhos voltados para o ensino da linguagem, sustentados por essa abordagem teórica. Com esse intento, acolheremos artigos ou ensaios que se voltem para o aprofundamento teórico de temas como dialogismo, discurso, ideologia, alteridade, excedente de visão, signo social e ideológico, campo de atividade humana, gênero discursivo e seus elementos constituintes, dimensão extraverbal e verbo-visual dos gêneros, texto/enunciado, método sociológico, entonação, valoração, dentre outros igualmente relevantes, na relação com a prática docente no ensino/trabalho com a linguagem. Esta é uma oportunidade de socializar conhecimentos sustentados por tal vertente teórica e, consequentemente, ampliar as possibilidades de gerar outros conhecimentos/produtos que alcancem, com mais eficácia, o contexto escolar.

Organização do Dossiê: Profa. Dra. Terezinha da Conceição Costa-Hübes (PPGL/UNIOESTE) e Prof. Dr. Adail Sobral (FURG/UFPel)

 

DOSSIER: DIALOGIC STUDIES AND INCURSIONS IN THE TEACHING PRACTICE

ABSTRACT:: The dialogic approach to language, based on the studies of the Bakhtin Circle, has been recognized within contemporary researches in the field of Applied Linguistics. These researches have been delineating different perspectives of investigation focusing social practices of language use. As a large field of studies anchored on the writings of the Bakhtin Circle is already constructed, it is necessary to open more territories for the propagation of these studies in order to make this theoretical perspective closer to those who work with and study language and its relations to the constitution of subjects and teaching practices. Considering this, the proposition of this dossier is to publish texts contributing to the expansion of thematic aspects in the ideas of the Circle, aiming to broaden knowledge and increase the possibilities of works focusing language teaching according to this theoretical approach. In order to do so, we will receive papers and essays aiming to present deep theoretical discussions about themes such as dialogism, discourse, ideology, alterity, excess of vision, social and ideological sign, spheres of human activity, speech genres and their constitutive elements, extraverbal and verbal-visual dimensions of genres, utterances, sociologic method, intonation, evaluation, among others, which are equally relevant to practices of language teaching. This is an opportunity to socialize knowledge based on this theoretical perspective and consequently to expand the possibilities of creating other knowledge/products that may affect more effectively the school context.


Organização do Dossiê: Profa. Dra. Terezinha da Conceição Costa-Hübes (PPGL/UNIOESTE) e Prof. Dr. Adail Sobral (FURG/UFPel)

--

vol. 21, n. 50 (julho de 2020) Chamada para submissões: até 30/07/2020

Previsão para publicação: 25 de agosto de 2020.

 

DOSSIÊ: CENAS DA VIDA AMAZÔNICA: SUJEITOS DIVERSOS ENTRE TEIAS DE LITERATURA E LINGUAGENS

Ementa: Apresentada ao mundo de forma insipiente e insuficiente pela História da Literatura Brasileira, o tema Amazônia sempre esteve ligado à biodiversidade. Hoje, porém, são apresentadas questões mais complexas do ser humano amazônida no cenário literário nacional e internacional, tais como valores, lidas sociopolíticas, percepções diversas sobre meio ambiente e modos de ver-viver o mundo, que permitem releituras sobre a Amazônia. Por certo que essas questões têm sido discutidas desde o período colonial, com a literatura crônica de expedicionários e com a literatura feita pelos nascidos na floresta, caso de Inglez de Souza e José Veríssimo, até o presente momento, e servem de expressões literárias de cultura e identidade com força regional impar no cenário brasileiro. Atualmente, estudos da literatura produzida na floresta provocam descobertas pouco míticas da Amazônia, realidades sociais em que milhares de brasileiros pobres, de cultura híbrida herdada da confluência indígena, negra e branca, e de relações constituídas a partir da intimidade com elementos da floresta, convivem nesse espaço diverso. Neste sentido, é relevante aprofundar processos históricos das Amazônias em suas (re)composições culturais, políticas e econômicas para a conformação das suas populações e organização de suas resistências identitárias. Esses aspectos, carregados de significações e sensibilidades, ensejam olhares interdisciplinares e possibilitam a pesquisadores e estudiosos de diferentes áreas do conhecimento debates sobre linguagens e expressões sociais, culturais, históricas e ideológicas; crenças, valores, símbolos e saberes no contexto da floresta onde vive a população amazônida, mediante abordagens literárias de proseio e poiesis, análises discursivas, registros investigativos de fontes orais, aproximações etnográficas, estudos de representações sociais, cartografias culturais e literárias, entre outras. O presente dossiê almeja fornecer um quadro das abordagens, tendências e articulações metodológicas, históricas, epistemológicas, estéticas e hermenêuticas, que permita a composição de um cenário transdisciplinar e ajude o leitor a apreender o universo amazônida. Para tanto, acolherá artigos que versem sobre estas diversas concepções do sujeito amazônida na literatura ou em sua relação com outras linguagens artísticas. O dossiê, por fim, lança aos seus proponentes, a tarefa de dialogar, provocar, inquirir e até mesmo definir o que vem a ser a Literatura Comparada no contexto da floresta e das teias amazônidas.

Organização do dossiê: Profa. Dra. Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza (UNIOESTE); Profa. Dr. Itamar Rodrigues Paulino (UFOPA).

 

DOSIER: ESCENAS DE LA VIDA AMAZÓNICA: SUJETOS DIVERSOS ENTRE REDES DE LITERATURA Y LENGUAJES

 

Materia propuesta: Presentada al mundo de forma insipiente e insuficiente por la Historia de la Literatura Brasileña, el tema Amazonia siempre estuvo relacionado a la biodiversidad. Hoy, sin embargo, se presentan planteamientos más complejos del ser humano en el escenario literario nacional e internacional, tales como valores, combates sociopolíticos, percepciones diversas sobre el medio ambiente y modos de ver-vivir el mundo, que permiten relecturas sobre la Amazonia. Es cierto que se discuten esas cuestiones desde el período colonial con la literatura crónica de expedicionarios y con la literatura hecha por los nacidos en la jungla, caso de Inglez de Souza y José Veríssimo; hasta el presente, y sirven de expresiones literarias de cultura e identidad con fuerza regional impar en el escenario brasileño. Actualmente, estudios de la literatura producida en la selva provocan descubiertas poco míticas de la Amazonia, realidades sociales en que millares de brasileños pobres, de cultura híbrida heredada de la confluencia indígena, negra y blanca, y de las relaciones constituidas a partir de la intimidad con elementos de la jungla, conviven en ese espacio diverso. En este sentido, es relevante profundizar en los procesos históricos de las Amazonias en sus (re)composiciones culturales, políticas y económicas para la conformación de sus poblaciones y organización de sus resistencias de identidad. Esos aspectos, cargados de significaciones y sensibilidades, dan lugar a miradas interdisciplinares y posibilitan que investigadores de diferentes áreas del conocimiento dialoguen sobre lenguajes y expresiones sociales, culturales, históricas e ideológicas; creencias, valores, símbolos y saberes en el contexto de la selva donde vive la población amazonida, mediante abordajes literarias de proseo y poiesis, análisis discursivas, registros investigativos de fuentes orales, aproximaciones etnográficas, estudios de representaciones sociales, cartografías culturales y literarias, entre otras. El presente dosier espera brindar un cuadro de los abordajes, tendencias y articulaciones metodológicas, históricas, epistemológicas, estéticas y hermenéuticas, que permita la composición de un escenario transdisciplinario y ayude el lector a aprender el universo amazonida. Para tanto, acogerá artículos que atiendan estas diversas concepciones del sujeto amazonida en la literatura o en su relación con otros lenguajes artísticos. El dosier, finalmente, lanza a sus proponentes, la tarea de dialogar, provocar, inquirir e incluso definir lo que podría ser la Literatura Comparada en el contexto de la Amazonia e de sus redes amazônidas.

Organização do dossiê: Profa. Dra. Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza (UNIOESTE); Profa. Dr. Itamar Rodrigues Paulino (UFOPA).

 

DOSSIER: SCENES OF AMAZONIAN LIFE: DIVERSE SUBJECTS BETWEEN LITERATURE AND LANGUAGES

 

ABSTRACT: Presented to the world in an incipient and insufficient way by the History of Brazilian Literature, the theme of Amazon has always been linked to biodiversity. Nowadays, however, new complex issues about human beings living in Amazonia are presented in the national and international literary scenario, such as values, socio-political deals, diverse perceptions about the environment and ways of seeing and living the world, which allow rereading of the Amazonia region. Certainly these issues have been discussed since the colonial period, with the chronic literature of expeditioners and Forest-born literature expression, such as Inglez de Souza and José Veríssimo, until the present times, and serve as literary expressions of culture and identity with a singular regional strength in the Brazilian scenario. Currently, Literature studies produced in the forest provoke non mythical discoveries of the Amazon, that is, the social realities evidencing thousands of poor Brazilians, of inherited hybrid culture from indigenous, black and white confluence, living together in the forest with their relationships formed from and through the intimacy with elements of this space of diversity. In this sense, it is relevant to deepen historical processes of the Amazon in its cultural, political and economic (re)compositions for the formation of the local populations and organization of their identity resistance. These meaningful and sensitive aspects give rise to interdisciplinary views and enable researchers and scholars from different fields of knowledge to debate social, cultural, historical and ideological languages and expressions as well as beliefs, values, symbols and knowledge in the context of the forest where the Amazonian population lives, through literary approaches of prose and poiesis, discursive analyses, investigations on oral sources records, ethnographic approaches, social representation studies, cultural and literary cartographies, among others. The present dossier aims to provide a framework of methodological, historical, epistemological, aesthetic and hermeneutic approaches as well as trends and articulations, allowing the composition of a transdisciplinary scenario and helping the reader to grasp the Amazon universe. In this sense, we will be receiving for this issue articles that deal with the various conceptions of the Amazonian subject in the literature or in their relationship with other artistic languages. Finally, the dossier launches its proponents the task of dialoguing, provoking, inquiring and even defining what Comparative Literature becomes in the context of the forest and of the Amazon webs.

Organização do dossiê: Profa. Dra. Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza (UNIOESTE); Profa. Dr. Itamar Rodrigues Paulino (UFOPA).

 

DIRETRIZES PARA AUTORES:

 

A Línguas & Letras, publicação quadrimestral do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, publica somente artigos que estejam de acordo com as normas da revista. O projeto acolhe artigos e ensaios originais e inéditos de interesse da comunidade científica. A Comissão Editorial da Revista se reserva o direito de aceitar texto que serão publicados em dossiês futuros da revista. Aceitam-se contribuições em português, inglês, espanhol, italiano e alemão, as quais serão submetidas à apreciação da Comissão Editorial da Revista. É de total responsabilidade do(s) autor(es) o uso de imagens, de conteúdo pertencente a terceiros e a menção a sujeitos da pesquisa. A Revista não se responsabiliza pelas opiniões, ideias, conceitos e posicionamentos expressos nos textos, que são de inteira responsabilidade do autor (ou autores), os quais ainda são responsáveis pela utilização de inserção de fotos, imagens, remissões, traduções, coletâneas, entre outros.

- O título do texto deve estar em língua vernácula e língua estrangeira.

- Os artigos devem incluir RESUMO e ABSTRACT, com aproximadamente 250 palavras, espaço simples, em parágrafo único — e três palavras-chave (KEYWORDS) que caracterizem o seu conteúdo. As contribuições podem ser encaminhadas da seguinte forma:

- Os autores devem efetuar seu cadastro no sistema, preenchendo corretamente todas as informações no formulário online, e encaminhar suas propostas na página da Revista, na Internet, acessando o Portal SABER.

- O artigo não deverá exceder a dezoito páginas, incluindo tabelas, gráficos, figuras e referências, devendo ser submetido sem numeração de páginas.

- As resenhas devem ser apresentadas em no máximo oito laudas.

- O texto deverá ser digitado nos programas Microsoft Word, Open Office ou compatível, em papel tamanho A4, com as seguintes configurações:

— Fonte Times New Roman.

— Tamanho da Fonte: 12.

— Título: centralizado, sem caixa alta, em maiúsculo.

— Nome do autor: considerando que as normas da revista exigem uma avaliação cega por pares, os autores NÃO DEVEM COLOCAR SEUS NOMES NO CORPO DO TEXTO que será anexado ao sistema podendo optar por escrever Autor1, Autor2 para indicar que o trabalho tem mais de um autor.

— Subtítulos: em caixa alta sem negrito, à margem esquerda do texto.

— Margens da página: superior – 3 cm; inferior – 2 cm; esquerda – 3 cm; direita– 2 cm.

— Espaçamento 1,5 linhas.

No texto (entrelinhas): 1,5 linhas.

Da margem superior ao título: dois espaços.

Do título para o nome do autor: dois espaços.

Do nome do autor para o corpo do texto: dois espaços.

Do corpo do texto para o subtítulo: dois espaços.

Do subtítulo para o corpo do texto: espaço.

 

REFERÊNCIAS, CITAÇÕES E OUTROS:

As referências devem aparecer no corpo do texto e no formulário de envio do texto item Referências conforme normas da ABNT:

As citações devem aparecer no corpo do texto conforme normas da ABNT:

* Citações com até 3 linhas: no corpo do texto, entre aspas, seguidas pela referência, no sistema autor, data, página, entre parênteses. (SILVA, 1999, p. 32).

* Citações com mais de 3 linhas: em novo parágrafo com recuo de 4 cm, espaço simples, tamanho de letra tamanho 11, sem aspas, sem itálico, seguidas pela referência, no sistema autor, data, página, entre parênteses.

Usar o sobrenome do autor em caixa alta, somente ao final de citações que estiverem entre aspas e dentro de parênteses, o que equivale dizer que no texto, quando aparecerem citações de autores, estas devem ser escritas somente com iniciais maiúsculas. Ex.: Conforme Silva (1999), o instituto de linguagem [...].

Empregar itálico somente para palavras em língua estrangeira e títulos de obras.

As subpartes do texto, se numeradas, devem vir à margem esquerda, sem recuo, seguindo as orientações da ABNT.

As referências devem constar ao final do trabalho, conforme normatização da ABNT.

ENDEREÇO PARA SUBMISSÃO:

http://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/index

* Solicitamos que os autores leiam atentamente as diretrizes antes de submeterem os artigos.

 

Cordialmente.

Equipe Editorial