LITERATURA DE AUTORIA FEMININA - MULHERES EM CENA, NA HISTÓRIA E NA MEMÓRIA

Débora Cristina Esser

Resumo

Opressão, submissão e silenciamento são algumas das palavras que acompanharam a mulher brasileira ao longo de cinco séculos de história. O patriarcalismo exacerbado e a dominação masculina se deram em diferentes áreas da sociedade, fazendo com que as vozes femininas fossem sufocadas por meio da violência física e moral, dentro e fora de seus lares. Se o século XXI, dispõe-se à equidade de gênero nas mais variadas esferas sociais, é porque, durante muito tempo, grupos feministas apoiados pelos Estudos Culturais e as Teorias de Gênero, projetaram-se de modo a revelar o papel da mulher na sociedade, sem que distinções físicas e biológicas interferissem na construção identitária de cada uma delas. No que tange à criação literária, a mulher assumiu muito mais do que o papel de autoria de obras autênticas e originais, foi por meio de sua projeção enquanto escritora, que a mulher do século XX passou a se libertar das amarras opressoras fomentadas pela publicação de obras de autores homens, que construíram com exclusividade o cânone literário nacional e universal, relegando a mulher ao papel de personagem e leitora de tais obras. Ao participar das criações literárias, as mulheres passaram a reconstruir suas identidades, revelando ao mundo escritoras capazes de contribuição ao cânone literário, assim como profissionais engajadas na educação, política e em diferentes áreas da sociedade do pós-guerra.

Palavras-chave

Literatura. Identidade. Gênero.

Texto completo:

PDF