A DENÚNCIA NA TEXTUALIZAÇÃO DO SOCIAL NO ENLACE DAS MATERIALIDADES SIGNIFICANTES

Rogério Modesto

Resumo

Neste texto, analiso o funcionamento discursivo de uma cena do filme brasileiro Ó paí, ó! dirigido por Monique Gardenberg e baseado na peça do escritor Marcio Meirelles. Como ponto de partida, considero que o filme textualiza o social a partir da relação entre o humor e a denúncia. Tal relação reflete uma outra entre a arte e a resistência que circula tanto no senso comum quanto no campo teórico-político e artístico. No que se refere ao humor, considero-o, a partir da análise, como a expressão do exagero e da ironia que se formulam no entrelaçamento das imagens, gestos, sons e texto. Já a denúncia, considero-a como a textualização do conflito, pois há um gesto de denúncia posto na concepção da peça (e do filme), porque se busca retratar a situação dos moradores de um bairro histórico de Salvador (o Pelourinho), quando este bairro passava, nos anos de 1990, por uma “revitalização” que visava especialmente interesses turísticos. A análise é feita seguindo os pressupostos teóricos e analíticos da Análise de Discurso de orientação materialista. Mobilizo, então, as noções teóricas de interdiscurso, resistência e denúncia no batimento com as noções analíticas de intradiscurso e memória discursiva. Assim, acredito poder mostrar como as formulações visuais textualizam o social, considerando o cruzamento entre o humor e a denúncia como ponto de sustentação dessas formulações

Palavras-chave

Discurso, Denúncia, Materialidades Significantes

Texto completo:

PDF