DESDOBRANDO TEMPOS, REDESCOBRINDO OLHARES: UM ESTUDO DE “SINHAZINHA NA JANELA” DE LULA CARDOSO AYRES

Maria Salete Borba

Resumo


RESUMO: O presente texto teve como objetivo fazer uma leitura da tela “Sinhazinha na janela” (s/d) do artista plástico pernambucano Lula Cardoso Ayres (1910-1987). A partir do repertório imagético formal-geométrico, próprio dos anos 1940 e 1950, em que a arte brasileira, e, mesmo a obra de Ayres, rumava ao concretismo, lemos o gesto como um elemento intrínseco à imagem. A fundamentação teórica é feita a partir do pensamento do filósofo italiano Giorgio Agamben, em especial, no texto “Notes sure le geste”, de 1991, no qual o “gesto” é o principal motivo de suas reflexões. PALAVRAS-CHAVE: Gesto; Lula Cardoso Ayres; Image/literatura.  http://dx.doi.org/10.5935/1981-4755.20160008

Palavras-chave


Gesto; Lula Cardoso Ayres; Image/literatura

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Línguas & Letras

 


e-ISSN: 1981-4755 — ISSN: 1517-7238

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Letras 

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalinguaseletras@gmail.com |