ENTRE IMAGENS E FLAGELOS: O REGIONALISMO CABO-VERDIANO DE MANUEL LOPES

Silvana Rodrigues Quintilhano, Francyélle Ribeiro da Silva

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar a obra Os Flagelados do Vento Leste (1959), do escritor cabo-verdiano Manuel Lopes, evidenciando sua contribuição para desenvolvimento da literatura de Cabo Verde, a partir de uma perspectiva regionalista. Nesta obra, Manuel Lopes apresenta ao leitor o painel da difícil realidade a que são submetidos os habitantes de Santo Antão, vítimas de confinamento insular e dos fenômenos naturais que afligem a região. Desta forma, esta análise entenderá o regionalismo como uma corrente atemporal, conforme Ligia Chiappini (1995), que não exclui o universalismo da obra e procurará identificar as especificidades da paisagem, da estrutura e organização da sociedade cabo-verdiana, seus costumes, gastronomia, música, forma de falar como tradução para construção da identidade nacional. Para tanto, utilizaremos como subsídios téoricos Manuel Ferreira (1997), Daniel Spínola (1998), Simone Caputo Gomes (2008) (2015), João Paulo Madeira (2014), Maria Aparecida Santilli (1985), Maria Nazareth Soares Fonseca e Terezinha Taborna Moreira (2014), dentre outros.

Palavras-chave

Literatura Cabo-verdiana; Regionalismo; Identidade Nacional.

Texto completo:

PDF