VARIAÇÃO E ENSINO NO ATLAS LINGUÍSTICO DO BRASIL

Marcela Moura Torres Paim

Resumo

Neste artigo se apresenta um dos aspectos de que se ocupa o Projeto Atlas Linguístico do Brasil (Projeto ALiB), o ensino do português brasileiro. Dessa forma, este trabalho investiga como a linguagem de indivíduos apresenta marcas linguísticas específicas que constroem, mantêm e projetam a diversidade em inquéritos do Projeto ALiB a partir da utilização da variação linguística. Nesse sentido, trata da importância dos atlas linguísticos para o ensino, destacando a publicação dos atlas regionais brasileiros e do atlas linguístico do Brasil. Assim, discute a significativa contribuição dessas obras para o conhecimento da realidade linguística do Brasil, visto que os atlas podem otimizar e motivar as atividades em sala de aula, podendo também ser explorados nas demais disciplinas do currículo escolar. A metodologia empregada consistiu na realização das seguintes etapas: 1) leitura de textos teóricos referentes ao tema proposto; 2) escolha e formação do corpus, constituído de inquéritos das capitais do Projeto ALiB; 3) análise do corpus a fim de verificar marcas linguísticas transmissoras da construção, projeção e manutenção da variação linguística. As análises dos inquéritos selecionados buscam estudar a variação e sua relação com o ensino no repertório linguístico de informantes da faixa I (18-30 anos) e faixa II (50-65 anos) das diferentes capitais do país. A análise do corpus possibilitou realizar o registro e a documentação da diversidade lexical do português falado no Brasil, seguindo os princípios da Geolinguística moderna Pluridimensional em que o registro segue os parâmetros diatópicos e diastráticos.

Palavras-chave

Variação; Ensino; Atlas linguísticos.

Texto completo:

PDF