Linguística Gerativa e Gramática na Educação Básica

Talita Gleycilane Mendes da Silva, Eloisa Nascimento Silva Pilati

Resumo

 

O presente trabalho tem como objetivo relacionar os pressupostos gerativistas e as possíveis colaborações que eles têm dado ao “ensino” de Língua Portuguesa. Com uma metodologia de pesquisa e reflexão, investiga-se a contribuição dos conceitos da teoria gerativa e dos estudos ligados a ela em três vertentes relacionadas à sala de aula: quanto (a) ao conteúdo ministrado, ao que se entende por gramática; (b) à efetividade do material didático, dados os conceitos que exprimem; e (c) às práticas docentes, suas dificuldades e questões no “ensino” de língua materna e a metodologia de ensino adotada. Adota-se, como referenciais teóricos, as pesquisas de Chomsky (1965 e trabalhos subsequentes) com os conceitos fundamentais da Teoria de Princípios e Parâmetros, a teoria de Kato (2005) sobre a gramática do letrado, a proposta de VanPatten (2003) sobre o input e o output, o trabalho precursor de Silva (2013) que relaciona o gerativismo e o ensino, e os trabalhos de Neves (1994), Costa e Barin (2003) e Pilati (2014) sobre a realidade atual da sala de aula. Conclui-se que o gerativismo tem contribuído de fato com conceitos que podem mitigar os problemas enfrentados no ensino de língua materna e trazer uma mudança significativa ao ensino. A necessidade de inovação nas práticas pedagógicas é iminente e os estudos linguísticos têm comprovado o atraso e a ineficiência das metodologias utilizadas na escola.


http://dx.doi.org/10.5935/1981-4755.20170022

Palavras-chave

teoria gerativa; ensino-aprendizagem; ensino de gramática

Texto completo:

PDF