SÍMBOLOS DO PARANÁ EM DIFERENTES TIPOS DE EXPRESSÃO CULTURAL

Joni Márcio Dorneles Fontella, Rosemary Irene Castañeda Zanette

Resumo

RESUMO: A “gralha azul” e o “pinheiro” estão entre os mais reconhecidos símbolos representativos do Estado do Paraná. Eles têm sido referenciados sob diversas formas de expressões artísticas, como no teatro, na poesia e na música. Ao longo dos anos, as lendas em torno desses elementos culturais têm inspirado poetas, escritores e compositores, regionais e de renome nacional. Nessa perspectiva, considerando a importância desses símbolos locais, este artigo tem por objetivo verificar como diferentes formas de produção artística, como as obras literárias e musicais, retratam esses já reconhecidos símbolos. Dessa maneira, tomamos como corpus da pesquisa três textos. O primeiro é a canção Gralha Azul (1968), de Inami Custódio Pinto, que é considerada uma das mais marcantes obras do cancioneiro do Paraná. O segundo é o poema Araucária (1999), de Helena Kolody. E o terceiro é A lenda do pinheiro e a gralha azul (1972), que faz parte da primeira publicação de lenda sobre essa ave, o livro A sombra dos pinheirais (1925), de Eurico Branco Ribeiro. Analisamos lexemas como “gralha azul”, “pinheiro” e “pinhão”, buscando descrever os significados veiculados a partir das obras selecionadas. A base teórica que sustenta este trabalho compreende a dos estudos Lexicológicos e Lexicográficos (BIDERMAN, 2001a, 2001b, 2001c), discutindo a relação existente entre léxico, sociedade e cultura.

 

PALAVRAS-CHAVE: Léxico; Símbolos do Paraná; Cultura do Paraná.

Palavras-chave

Léxico; Símbolos do Paraná; Cultura do Paraná

Texto completo:

PDF