O Letramento na Formação de Formadores em Moçambique: O Caso da Educação Bilingue

Samima Amade Patel

Resumo


O presente artigo é um recorte dos resultados de uma pesquisa em Linguística Aplicada relacionada com o letramento dos alunos de um curso de licenciatura em Ensino de Línguas Bantu e Metodologias de Educação Bilingue em curso na Universidade Eduardo Mondlane (UEM), em Moçambique. O curso forma os formadores de professores primários para a área da Educação Bilingue em contextos rurais, nos Institutos de Formação de Professores Primários (IFPs). Os 31 alunos participantes da pesquisa, dos quais 6 do sexo feminino, eram falantes bilingues em uma língua moçambicana e em português, como língua segunda (L2) e, na sua maioria, provenientes de zonas rurais. O presente trabalho poderá contribuir para se iniciar, nas das instituições educacionais e na academia, uma reflexão sobre as políticas e estratégias para a formação de professores e de formadores que inclua novas abordagens sobre os letramento como práticas sociais abrangentes que tenham em conta a diversidade social, linguística e étnica.

 

 


Palavras-chave


letramento, formação, educação bilíngue

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Línguas & Letras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Línguas & Letras

 


e-ISSN: 1981-4755 — ISSN: 1517-7238

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Letras 

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalinguaseletras@gmail.com |