Literatura Infantojuvenil em Cordel: Uma Breve Fisionomia da Adaptação, do Fantástico e do Imaginário

Geam Karlo-Gomes

Resumo

Este estudo busca fundamentar a inter-relação entre dois aspectos pertinentes à mediação da leitura de textos infantojuvenis no cenário escolar: a adaptação e o imaginário arquetípico. O primeiro é temporal, sempre ajustado a determinado público ou contexto, a fim de obter aceitação. O segundo, atemporal, pois diz respeito ao grande reservatório de imagens ou conjunto de imagens oníricas ou oriundas da mente primitiva, que alicerça nosso modo de viver, pensar e agir. Dessa forma, este texto objetiva mostrar como esses dois tópicos estão dispostos na literatura infantojuvenil. Para tanto, discorremos sobre esses temas em três obras adaptadas em cordel para crianças e jovens: O pequeno Polegar, Pinóquio e O Soldadinho de Chumbo à luz dos estudos da adaptação, da literatura fantástica e dos estudos do imaginário arquetípico, amparo teórico elencado para este estudo bibliográfico. Esta proposta surgiu da necessidade de fundamentação de um trabalho de mediação de leitores no contexto de formação de professores, na vivência do componente curricular Literatura Infantil, do curso de graduação em pedagogia em uma universidade pública no Nordeste brasileiro. A partir do olhar hermenêutico das obras da literatura infantojuvenil adaptadas em cordel, conclui-se que os elementos em análise se revelam potencialmente significativos para dinamizar o processo de mediação da leitura no contexto escolar.

Palavras-chave

literatura infantojuvenil, imaginário, adaptação, literatura de cordel.

Texto completo:

PDF

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. A literatura infantil. Gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.

AZEVEDO, Paulo Seben de. Serás lido, Uraguai? A contribuição de uma versão de O Uraguai, de Basílio da Gama, para uma teoria da adaptação. Tese (Doutorado em Letras), PPGL, FALE, PUCRS, 1999.

BARBOSA, Maria Tereza Amodeo. Mitologia poética dos contos de fadas no Brasil. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1991.

BONFIM, João Bosco Bezerra. O soldadinho de chumbo. Ilustrado por Laerte Silvino. São Paulo: Prumo, 2009.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. Trad. Adail Ubirajara Sobral. São Paulo: Pensamento, 2007.

CARVALHO, Diógenes Buenos Aires de. A adaptação literária para crianças e jovens: Robinson Crusoe no Brasil. 2006. 539f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, PUCRS, Porto Alegre, 2006. Disponível em < http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/2118/1/388858.pdf> Acesso: 2 jul 2019.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, s/d.

CHRISTAL, Wendel Cássio; AMADEI, Glaucy Abdon. Contos de fadas: uma leitura de O soldadinho de chumbo, de Andersen, à luz da literatura e da psicanálise. In: LAURITI, Thiago; CHRISTAL, Wendel Cássio. Literatura Infantil e Juvenil: Abordagens múltiplas. Jundiái-SP: Paco Editorial, 2013.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil e juvenil. São Paulo: Ática, 1991.

COLLODI, Carlo. As aventuras de Pinóquio. Tradução: Marina Colasanti. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2002.

CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura infantil: teoria e prática. São Paulo: Ática, 1983.

DIAS, Elisa do Rosário Fernandes. Pedagogia do imaginário infantil. Análise na região portuguesa de Trás-Os-Montes. Lisboa: Instituto Piaget, 2008.

FARIA, Maria Alice. Como usar a literatura infantil na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2015.

JUNG, Carl Gustav. O homem e seus símbolos. Trad. Maria Lúcia Pinho. Rio de Janeiro: HarperCollins Brasil, 2016.

JUNG, Carl Gustav. Symbols of transformation. London: Routledge, 1967.

MAGALHÃES, Amanda et al. As verdades nas mentiras de Pinóquio. Entrelinhas fabulosas que influenciam nossa vida. Julho-Dezembro 2005. Disponível em: http://puc-riodigital.com.puc-rio.br/media/11%20-%20as%20verdades%20nas%20mentiras%20de % 20pin%C3%B3quio.pdf. Acesso: 30. Out. 2017.

MASTROBERTI, Paula. Adaptação, versão ou recriação?: mediações da leitura literária para jovens e crianças. Semioses. Revista científica. V.5, n.2, p.104-112, 2011. Disponível: http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/Semioses/article/view/985. Acesso: 20 jun 2019.

MONTEIRO, Manoel. Pinóquio. Histórias do mundo em cordéis. Desenhos de Jô Oliveira. São Paulo: DCL, 2009.

NASCIMENTO, Varneci. O Pequeno Polegar. São Paulo: Panda Books, 2010.

SILVA, Juramir Machado. As tecnologias do imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2012.

STAM, Robert. Teoria e prática da adaptação: da fidelidade à intertextualidade. Ilha do Desterro: A Journal of English Language, Literatures in English and Cultural Studies, N. 51, julio-diciembre, 2006, pp. 19-53. Disponível em: . Acesso: 20 jun 2019.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. Trad. Maria Clara Correa Castello. São Paulo: Perspectiva, 2014.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 2003.