ANÁLISE ENTONACIONAL DA LEITURA DE JORNALISTAS CHILENOS E ESPANHÓIS - SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS NO NÚCLEO

José Ricardo Dordron de Pinho

Resumo

Este trabalho propõe uma comparação entonacional dos núcleos encontrados na leitura de telejornais chilenos e espanhóis, realizando uma descrição fonética e uma análise fonológica.  A análise se realiza a partir das frases entonativas, que são aquelas delimitadas pelas pausas existentes entre os enunciados completos.  Considerando nosso critério de comparação, as frases entonativas se dividem em três grupos: frases entonativas continuativas, frases entonativas internas e frases entonativas terminativas, segundo a posição que ocupam no enunciado como um todo.  O objetivo é encontrar os pontos convergentes e divergentes entre as duas variedades da língua espanhola.  O corpus se constitui de 12 enunciados, que foram gravados dos canais internacionais TVN, do Chile, e TVE, da Espanha, em agosto de 2001.  Analisam-se doze enunciados no total, seis de cada origem geográfica, que foram lidos pelos jornalistas quando apresentavam o telejornal.  As análises se baseiam na teoria Métrica-Autossegmental (AM) de Pierrehumbert (1980), adaptada para o espanhol por Sosa (1999).  Como resultado, encontramos a mesma atribuição tonal para todos os casos, mas diferenças significativas no comportamento da F0.  Ao considerar a duração, não encontramos muitas diferenças quanto à tendência predominante; porém, observam-se diferenças importantes quanto ao valor percentual.  Como exemplo, citamos as frases entonativas terminativas, onde o padrão observado é L*L% no Chile e na Espanha, mas com casos de ensurdecimento na tônica e na pós-tônica espanhola, mas apenas na pós-tônica chilena.  Quanto à duração, ocorre um aumento na passagem da pré-tônica para a tônica e da tônica para a pós-tônica nas duas variedades, mas em proporções desiguais: o aumento é mais percebido na tônica chilena e na pós-tônica espanhola.  

Palavras-chave

Entoação hispânica. Espanhol do Chile e espanhol da Espanha. Variação linguística.

Texto completo:

PDF