PELE DE JAMBO , DE RAQUEL NAVEIRA: A PERTENÇA NA LITERATURA INFANTO - JUVENIL

Maisa Cordeiro, Célia Fernandes

Resumo

Este trabalho tem por objetivo, a partir da obra Pele de jambo (1996), da escritora regionalista sul-mato-grossense Raquel Naveira, analisar as representações da fronteira Brasil-Paraguai. Pretende-se, desse modo, discutir como é evocado o sentimento de pertença (NOLASCO, 2011) na obra. Por ser destinada ao público infantojuvenil, Pele de jambo, além da questão da representação da fronteira, ganha ainda mais singularidade, devido à urgência em construir, desde cedo, sentimentos de valorização do locus no qual os sujeitos estão inseridos. As marcas regionais presentes na obra de Naveira (1996) são extremamente importantes para a divulgação da cultura desse locus específico. Nesse sentido, é objetivo deste trabalho analisar como são representados alguns elementos que vão sendo transformados em uma situação fronteiriça, tais como história, língua, culinária e os próprios sujeitos. 

Palavras-chave

Regionalismo; Fronteira Brasil-Paraguai; Literatura; Pele de jambo.

Texto completo:

PDF