A TERMINOLOGIA DAS FORTIFICAÇÕES EM CARÁTER BILÍNGUE ITALIANO/PORTUGUÊS

Rosemary Irene Castañeda Zanette

Resumo

A Itália abriga em sua paisagem elementos arquitetônicos

representantes do antigo e do moderno. O país acompanha o desenvolvimento

do continente, empregando novas técnicas e materiais ao erigir novas edificações.

É o caso de muitos arranha-céus da cidade de Milão, como o GrattacieloPirelli , com 31 andares e o Palazzo Lombardia , com 43, e outros projetos em

andamento. As cidades crescem, mas o território italiano, devido à cultura da

preservação, mantém edificações representantes de muitos séculos de história,

bem como áreas com achados arqueológicos, entre outros. Diante disso,

neste trabalho serão investigadas, pelo viés terminológico, as fortificações, ou

seja, construções erguidas com a finalidade da defesa. Como exemplos de

proteção dos centros habitados há os mura aureliane , ao redor do centro

histórico de Roma, e de proteção de morada de nobres, o Castel Nuovo

(Nápoles). O ponto de partida, então, é a realidade italiana, rica de exemplares

desta tipologia. Já o objetivo, com base na Teoria Comunicativa da Terminologia,

é analisar os termos na língua italiana e a existência ou não das formas equivalentes

na língua portuguesa, nos dicionários monolíngues gerais das duas línguas.

Serão verificados desde o hiperônimo fortificazione até hipônimos como

fortezza, cinta muraria. Aliada à análise terminológica, serão fornecidos alguns

dados históricos sobre algumas dessas fortificações.

Texto completo:

PDF