LITERATURA INFANTIL BRASILEIRA E IDENTIDADE DA CRIANÇA NEGRA

Vera Regina Vargas Dupont

Resumo

: Este artigo tem como objetivo analisar como a criança negra é caracterizada em relação aos estereótipos criados em torno do negro, no decorrer da história brasileira, em narrativas infantis, a partir de uma abordagem sociológica do texto literário e dos pressupostos da literatura comparada. Para tanto, foram selecionadas algumas narrativas infantis que apresentam personagens crianças negras, sendo possível constatar que essas obras revelam as transformações que ocorreram na sociedade brasileira no que diz respeito ao negro. Este trabalho baseia-se no apoio teórico nas obras de Rosangela Malachias e Florestan Fernandes, dentre outros. A análise foi organizada de modo a observar as dificuldades de identificação da criança negra diante dos ditames culturais europeus acerca do modelo de beleza padrão. De maneira geral, é possível observar que a produção de obras cujas personagens são crianças negras se intensificou após a Constituição de 1988 e a Lei 10.639/2003. O discurso literário destinado ao público infantil, portanto, sofre mudanças diante das transformações da sociedade e mostra um novo contexto histórico-social em que as minorias passam a ter mais espaço; mas, o respeito às diferenças ainda precisa ocorrer efetivamente nas relações sociais para que o negro realmente seja valorizado.

Palavras-chave

Literatura Infantil; criança negra; estereótipos.

Texto completo:

PDF