CORRER RISCO DE VIDA OU DE MORTE?

Odete Pereira da Silva Menon

Resumo

Este trabalho objetiva explicar a origem da expressão idiomática correr risco de vida. Ela tem origem num fato concreto, de uso muito antigo em português: os reis costumavam fazer registrar o nome das pessoas a quem davam benesses ou faziam mercê de um cargo, de uma terra. Quando alguém caía em desgraça junto ao rei ou cometia traição, por exemplo, o rei mandava riscar (passar um risco, traço para eliminar) dos livros o nome do desafeto. Isso significava que, para o rei, tal pessoa tinha deixado de existir. Mas a menção do uso de nome inscrito no Livro da Vida já se encontra na Bíblia, Êxodo, quando Moisés pede a Deus que risque o seu nome do livro que Ele tinha escrito... Por meio de processos metafóricos, tanto o verbo riscar (transformado em arriscar) quanto o substantivo risco se gramaticalizaram, passando a ter significado mais abstrato: “pôr a vida em perigo” e “perigo”, respectivamente.

Palavras-chave

Pragmática; Gramaticalização; Correr risco de vida.

Texto completo:

PDF