Variation and changes in soccer players’ names of Brazilian National soccer team

Vinícius Pereira de Souza Cruz, Eduardo Tadeu Roque Amaral

Resumo


This paper presents an analysis of official and unofficial anthroponyms of soccer players from the Brazilian National team from 1958 to 2018. The theoretical framework is based on both onomastic studies, such as Amaral (2011), Amaral e Seide (2020), Bajo Pérez (2002), Becker (2012), Fernández Leborans (1999), Urrutia and Sánchez (2009), Van Langendonck (2007), Fernández Leborans (1999) and on analyses about Brazilian soccer studies such as Rodrigues (2010) and Caetano and Rodrigues (2009). The data analyzed are the players’ names on the lists selected to compete World Cup in that period. These names are classified in order to observe variation and change over time. The results indicate a predominance of official names in almost every year as well as a greater contemporary trend towards more formal name variants.

Variação e mudança em nomes de jogadores da Seleção Brasileira

Este artigo apresenta uma análise de antropônimos oficiais e não oficiais de jogadores da Seleção Brasileira do período compreendido entre 1958 e 2018. O marco teórico se apoia tanto em estudos de Onomástica, como Amaral (2011), Amaral e Seide (2020), Bajo Pérez (2002), Becker (2018), Fernández Leborans (1999), Urrutia e Sánchez (2009), Van Langendonck (2007), quanto em estudos sobre o futebol brasileiro, como Rodrigues (2010) e Caetano e Rodrigues (2009). Os dados analisados são os nomes das listas de jogadores convocados nesse período para os jogos mundiais. Esses nomes são classificados com o objetivo de observar a variação e a mudança ao longo do tempo. Os resultados indicam um predomínio de nomes oficiais em quase todos os anos, bem como uma maior tendência contemporânea às variantes mais formais dos nomes. 

 

Palavras-chave: Seleção Brasileira; jogadores de futebol; antropônimos.


Palavras-chave


Brazilian National soccer team; soccer players; anthroponyms

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.48075/odal.v2i3.26600

Apontamentos

  • Não há apontamentos.