A CONSTITUIÇÃO DO VIAJANTE TRANSCULTURAL: UM ESTUDO DE FIGURA NA SOMBRA, DE ASSIS BRASIL

Ana Maria klock, Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza

Resumo

O presente trabalho centra-se no estudo do romance Figura na Sombra, do escritor Luiz Antonio de Assis Brasil sob o intento de, partindo da compreensão das produções híbridas de história e ficção como modalidade de releitura crítica do, tratar do resgate memorial da biografia do naturalista francês Aimé Bonpland, figura que permaneceu à margem dos registros históricos, mas que agora se renova através da ficção. Essa possibilidade de reler a história materializada na obra literária gera múltiplas visões sobre o tempo pretérito e dá personalidade, origem e voz a essa figura silenciada, apresentando-nos a possibilidade de conhecer o passado pelo viés do anônimo. Viajante e grande estudioso da fauna e da flora americana, Bonpland ficou relegado à sombra e ao esquecimento, assim como o título insinua, abandonando a sua terra natal para estabelecer-se em definitivo no extremo sul-americano, onde integrou-se aos costumes, à língua e à identidade local após um longo período de andanças e trânsitos por diferentes países latino-americanos. A narrativa flerta, portanto, com questões relativas à formação identitária, trânsitos, travessia de fronteiras e processos transculturais em que o sujeito durante a sua jornada se renova no contato, nas trocas e nas relações com diferentes culturas, evidenciando, assim, um fenômeno pungente em toda a América Latina.

Palavras-chave

viajante transcultural; fronteira; identidade.

Texto completo:

PDF