PROCESSOS DE COMPOSIÇÃO FICCIONAL: EXPRESSÃO DA CONSCIÊNCIA NACIONAL E CULTURAL DE POVOS AFRICANO E BRASILEIRO

Lacy Guaraciaba Machado

Resumo

O objetivo central deste estudo é analisar a organização das narrativas Viva o povo brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro, e Terra sonâmbula, de Mia Couto destacando os processos de representação ficcional do sentimento de nacionalidade e de traços culturais das personagens, sua heroicidade e suas desventuras. Partimos de motivações temáticas que mobilizam o projeto narrativo literário, ao traduzirem ficcionalmente fragmentos da cultura brasileira e da moçambicana, pois, metaforicamente, o sentimento de nacionalidade do povo moçambicano e brasileiro perpassa a narrativa, cujo efeito de significação destacado é o de perda, em amálgama com aquele revelado pela força da ancestralidade. A nossa percepção é a de que, no espaço moçambicano, há um apelo à cultura de raiz e, no outro há ênfase sobre a formação étnica e cultural do povo brasileiro. O modo de historicizar a percepção de ação coletiva singulariza as duas obras em estudo, de modo que o apelo ao coletivo incide sobre dois aspectos predominantes. Um tem caráter sócio-político e histórico, de modo irônico; outro revela caráter étnico e sócio-cultural, de modo simulado, caracterizando a fragilidade da criatura humana. Em ambas as narrativas, povo é noção que perpassa a história, metaforicamente. Em Terra sonâmbula, entretanto, o arranjo dissimulador consiste em narrativizar consequências do processo de colonização, cujo tema dominante incide sobre uma guerra que disputa projetos para Moçambique. São suporte de análise das narrativas destacadas conceitos encontrados em Homi K. Bhabha, Franz Fanon, Stuart Hall e outros: entretempo, entre-lugar, povo, nação e identidade.

Palavras-chave

Identidade. Povo. Nacionalidade.

Texto completo:

PDF