REPRESENTAÇÕES DA PÓS-GUERRA CIVIL ESPANHOLA: O ROMANCE LAS TRECE ROSAS E SUA TRANSPOSIÇÃO FÍLMICA

Patrícia Dal'moro Mendes, Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza

Resumo

Mesmo os fatos históricos por si só possuindo diversas versões, ao agregá-los às histórias ficcionais se tem uma nova história, que ficcionaliza a realidade. Além dos romances históricos, outros meios também se empenham em representar aspectos históricos, como as narrativas fílmicas. A história de um romance transposta para um filme torna-se uma nova história. Tendo isso em vista, objetivamos apresentar e analisar como aspectos relacionados à pós-Guerra Civil na Espanha (1939-1975) são representados no romance Las trece rosas (2003) e no filme de mesmo nome. As representações fílmicas possuem características próprias na narração de uma história, por esse motivo pretendemos ainda verificar as mudanças de sentido que podem ser geradas na transposição do relato literário do romance, para a obra cinematográfica, Las trece rosas (2007). Embora homônimos, o romance e o filme possuem características próprias na narração dos fatos, fazendo com que um mesmo acontecimento histórico seja representado com suas diversas visões e versões. Tanto a obra literária, quanto a fílmica baseiam-se na história e nas memórias de treze jovens que lutavam contra os ideais ditatórias de Francisco Franco Bahamonde, na época da pós-guerra espanhola. Entretanto o romance e o filme por ser retratados por meios de representações ficcionais diferentes tornam-se histórias distintas, cada uma com suas características próprias. Atentamos para o fato que mesmo a literatura e o cinema, ao exibir elementos históricos, como personagens e acontecimentos, sempre serão representações, mas nunca a própria realidade.

Palavras-chave

Guerra Civil espanhola; Las trece rosas; Cinema; Literatura; Ficção

Texto completo:

PDF