POESIA, CHÁ E TORRADAS NO CAFÉ CENTRAL: O EXISTENCIALISMO NA LITERATURA PARAENSE (1946-51)

Dawdson Soares Cangussu

Resumo

O artigo procura mostrar, no contexto da década de 1940, momento de fatos tais como a Segunda Guerra Mundial (1939-45) e o Estado Novo (1937-45), o surgimento da chamada Geração de 45, e, além disso, estabelece uma discussão acerca da literatura contemporânea, destacando, principalmente, a influência do simbolismo e do existencialismo na literatura mundial. Esses pontos de análise elencados são relevantes para o entendimento da formação da literatura brasileira e compreender, a partir disso, o surgimento, na cidade de Belém, de um grupo cultural em meados dos anos de 1940. Grupo que, em 1946 se consolidaria como a Turma do Central, e ganharia destaque na construção de uma nova poesia, de uma nova vida literária e de uma identidade geracional.

Palavras-chave

literatura; existencialismo; Sartre; Rilke; Belém

Texto completo:

PDF