A POÉTICA DO RELATO REAL EM: "SOLDADOS DE SALAMINA"

Flavio Pereira

Resumo

Soldados de Salaminaé o título do romance de maior sucesso de Javier Cercas e do filme homônimo de David Trueba. A obra literária se apresenta como um relato metaficcional que discute o processo de construção do que o autor denomina “relato real”, que está vinculado em sua origem a fatos e tramas históricas/reais, relacionadas às biografias dos escritores Antonio Machado e, sobretudo, de Rafael Sánchez Mazas, um dos ideólogos da Falange Espanhola. O romance e o filme se apresentam como uma busca de um “segredo essencial” figurativizado no olhar do miliciano anônimo que teria preservado a vida de Sánchez Mazas num episódio decisivo e dramático de sua trajetória. Neste trabalho, pretendemos refletir sobre como o filme de David Trueba transpõe para a construção do relato cinematográfico os elementos que permitem identificar no filme os vínculos com os referentes extratextuais históricos/reais. Trata-se de uma leitura comparativa que pretende fugir ao lugar comum da discussão sobre a “fidelidade”, a “originalidade” ou a presumida “superioridade” do filme frente ao romance ou vice-versa. Em vez disso, toma-se um elemento relevante na poética do romance metaficcional para verificar se de alguma forma se reflete no filme esta tensão entre “ficção” e “realidade” e os efeitos de sentido derivados.

Palavras-chave

Soldados de Salamina; Javier Cercas; David Trueba; ficção, cinema e história; metaficção

Texto completo:

PDF