Destinação e reaproveitamento de subprodutos da extração olivícola

Rosalina Marangon Lima Medeiros, Fabíola Villa, Daniel Fernandes da Silva, Luciana Resende Cardoso Filho

Resumo

Os resíduos obtidos do processo de extração do azeite de oliva são subprodutos gerados de diferentes formas e composição, de acordo com o equipamento de extração usado, a cultivar de azeitona e maturidade do fruto. Na prensagem tradicional das azeitonas, usando processo contínuo de três fases, os resíduos produzidos compreendem a parte líquida (água de vegetação) + bagaço (resíduo sólido). O bagaço da azeitona ao sofrer nova extração produz o óleo do bagaço, enquanto o resíduo aquoso é usualmente descartado sem controle, causando vários problemas ambientais. Ao se usar um sistema de duas fases para produção do azeite, elimina-se o problema, originando um novo resíduo, conhecido como “alperujo”; bem como água de vegetação. As indústrias da extração olivícola têm procurado investir em alternativas que possibilitem o uso de seus resíduos, como adubo, herbicida, ração animal e óleo residual. Portanto, estudos nessa área são necessários, a fim de se obterem novas alternativas para o reaproveitamento dos resíduos da indústria da extração, contribuindo para a sustentabilidade e redução do impacto ambiental.

Palavras-chave

Bagaço; Olea europaea; processamento; reaproveitamento

Texto completo:

PDF