Atividade antimicrobiana de extratos de vegetais sobre desenvolvimento de Macrophomina phaseolina em métodos de esterilização

Autores

  • Eloisa Lorenzetti
  • Anderson Luis Heling
  • Jeferson Carlos Carvalho
  • Juliana Yuriko Habitzreuter Fujimoto
  • Vanessa de Oliveira Faria
  • José Renato Stangarlin
  • Odair José Kuhn

Palavras-chave:

Controle alternativo, Crescimento micelial, Podridão carvão.

Resumo


Com o intuito de buscar novas medidas de proteção de plantas contra doenças, a agricultura alternativa através do uso de plantas medicinais vem sendo muito estudada. O estudo teve como objetivo avaliar o efeito do extrato de alecrim (Rosmarinus officinalis), cravo-da-índia (Syzygium aromaticum), canela (Cinnamomum zeylanicum), alho (Allium sativum) e guaco (Mikania glomerata), submetido a diferentes métodos de esterilização (banho-maria a 65ºC por 1 h, banho-maria a 85ºC por 1 h, autoclave a 110ºC por 20 min e autoclave a 120ºC por 20 min), no crescimento micelial da Macrophomina phaseolina causador da podridão carvão em diversas culturas. Foi encontrada a área abaixo da curva de crescimento micelial para cada forma de esterilização nos extratos utilizados. Os extratos de alecrim, alho e cravo-da-índia possuem potencial antifúngico para o patógeno M. phaseolina verificado para o método de esterilização: autoclavagem a 120 ºC por 20 minutos, banho maria a 65 ºC por 1 h, banho maria a 85 ºC por 1 h, respectivamente.

Downloads

Publicado

14-06-2018

Edição

Seção

Artigos Científicos