Secagem ao ar livre e qualidade de serrados de clones de Eucalyptus grandis

Maiara Talgatti, Amanda Grassmann da Silveira, Talita Baldin, Joel Telles de Souza, Elio José Santini

Resumo

Objetivou-se verificar o comportamento da madeira serrada de clones de eucalipto durante o processo de secagem ao ar livre, a fim de subsidiar a classificação fenotípica para seleção genética, por meio da avaliação da qualidade da madeira. Para tal, foram utilizadas 15 tábuas de 2,5 x 10,0 x 1,2 cm, de cada clone para o processo de secagem ao ar livre, após foi realizada a avaliação dos defeitos de secagem, adicionalmente, e com isso verificado o índice de rachaduras de topo em tora. Já para a determinação dos coeficientes de contração lineares, contração máxima volumétrica e coeficiente de anisotropia, foram utilizados 30 corpos de prova com dimensões 2,0 x 2,0 x 10,0 cm por clone. O clone 1007 apresentou a maior taxa de secagem e também foi considerado o de melhor desempenho no que tange o surgimento de rachaduras de topo em tora e qualidade quanto à incidência de defeitos pós secagem, sendo recomendada sua seleção genética. A média da densidade básica dos clones foi de 0,4016 g.cm-3, caracterizando as madeiras como leves. As espécies em estudo possuem madeiras baixa retratibilidade, estando dentro dos limites apresentados na literatura para o gênero Eucalyptus, o fator anisotrópico indicou que as madeiras apresentam comportamento normal.

Palavras-chave

defeitos da madeira serrada; madeira de eucalipto; umidade.

Texto completo:

PDF