Influência de diferentes fontes e doses de adubos nitrogenados nos teores de n-nitrato e na produtividade de alface

V. C.P. Zago, M. R. Evangelista, D. L. Almeida, J. G.M. Guerra, N. G. Rumjanek, M. C.P. Neves

Resumo

Uma elevada adubação com nitrogênio pode causar acumulação de nitrato em hortaliças folhosas, especialmente em alface. A presença de altos níveis de nitrato nos alimentos pode causa problemas de saúde. O objetivo deste estudo foi comparar o efeito da adubação mineral e orgânica na acmulação de nitrato e produtividade de alface (Lactuca sativa). Um experimento foi conduzido a campo no Centro de Pesquisa da Embrapa Agrobiologia, Seropédica-RJ. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, num fatorial 4 x 3, sendo as doses de esterco bovino curtido (0, 1, 2 e 3 kg/m2) e os tipos de adubação foliar (controle, biofertilizante e uréia), com quatro  repetições. As pulverizações foliares foram feitas a cada sete dias. As plantas foram colhidas 60 dias após o transplante, sendo suas folhas separadas em: exteriores (terço inferior), médias (terço mediano) e interiores (terço superior). Após extração alcoólica, determinaram-se N-Nitrato e N-Total. A concentração de nitrato foi maior nas plantas tratadas com uréia, sendo que a aplicação foliar com biofertilizante não diferiu significativamente do controle. As folhas exteriores apresentaram maiores concentrações de nitrato. Os resultados indicam que o melhor valor nutricional foi observado nas plantas de alface adubadas com esterco bovino e biofertilizante, com menores teores de nitrato em seus tecidos. O peso da matéria fresca/cabeça de alface não diferiu entre as doses de esterco. A adubação foliar não interferiu neste parâmetro, exceto do controle, com menor produtividade.

Palavras-chave

Lactuca sativa; biofertilizante; esterco; uréia

Texto completo:

PDF