Quantificação de elementos potencialmente tóxicos presentes em diferentes cultivares de grãos de soja e milho comercializados na região Noroeste do Paraná

Cristina Lorena Massocatto, Kristiany Moreira Diniz, Jaqueline Fonseca Bolson, Affonso Celso Gonçalves Jr., Douglas Cardoso Dragunski

Resumo

A soja e o milho são culturas que estão entre as mais plantadas na região noroeste do Paraná, desta forma, um estudo sobre alguns micronutrientes que são essenciais para o crescimento dessas plantas se faz necessário, pois mesmo em pequenas quantidades, são considerados elementos essenciais para o desenvolvimento destas culturas e também para a saúde dos seres humanos. Assim, este trabalho objetivou quantificar os metais: Fe, Cu, Zn, Cr, Mn, Ni, Na e Pb em diferentes cultivares de soja e milho comercializados na região noroeste do Paraná. As amostras foram adquiridas da Cooperativa Agropecuária Goioerê (COAGEL), situada na cidade de Umuarama, no noroeste do Paraná.  Foram analisados 36 cultivares para o milho e 14 para a soja. Primeiramente, as amostras foram secas a 100ºC, trituradas e peneiradas. A digestão utilizada foi via úmida com ácido nítrico e peróxido de hidrogênio. Todas as amostras analisadas apresentaram os metais Fe, Zn, Cu, Cr, Mn e Na. Constatou-se que as quantidades dos minerais estudados variaram bastantes para os diferentes cultivares, sendo que as maiores concentrações foram encontradas nas amostras de soja no que se refere aos metais Fe, Cu, Mn e Na, enquanto, o milho apresentou as maiores concentrações de Cr e Zn. Em relação ao Cr, não se pode afirmar qual espécie está presente (III ou VI), assim, deve-se ter uma precaução ao ingerir estes grãos como alimento. Também foi avaliada a correlação entre os metais, constatando que entre os minerais na soja as correlações foram mais fortes quando comparadas com o milho.

Palavras-chave: sementes, metais, absorção atômica.

 

 

 

Palavras-chave

agronomia

Texto completo:

PDF