Comportamento do milheto na safrinha em função do espaçamento entre linhas e da densidade de semeadura

Antonio Carlos Torres da Costa, João Roberto Reginatto, João Roberto Reginatto, Martios Ecco, José Barbosa Duarte Júnior, Edmar Soares de Vasconcelos

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar, na safrinha, a influência do espaçamento entre linhas e da densidade de semeadura na produção de biomassa e em outras características de interesse agronômico do milheto pérola (Pennisetum glaucum L.). O delineamento experimental adotado foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições, em esquema fatorial 4 x 2, sendo o primeiro fator representado pelo espaçamento entre linhas (22,5; 45,0; 67,5 e 90,0 cm) e o segundo fator representado pela densidade de semeadura (25 e 50 kg ha-1 de sementes), em parcelas de 12,5 m2. A semeadura do milheto, cultivar comum, foi realizada manualmente, em março de 2010. Foram avaliadas, no estádio de florescimento, as características: altura de planta, número de folhas do perfilho principal, número de perfilhos por planta, número de panículas, comprimento de panículas, massa fresca e massa seca. No plantio da safrinha, a produção de biomassa, no florescimento, decresce à medida que aumenta o espaçamento entrelinhas na cultura do milheto, ou seja, maior produção de biomassa é obtida ao utilizar menor espaçamento. Por outro lado, maior produção de biomassa é obtida ao se utilizar maior densidade de semeadura (50 kg ha-1 de sementes). A altura de plantas, o número de perfilhos por planta e o número de panículas contribuíram para a obtenção de uma maior biomassa.

Palavras-chave

arranjo populacional, produção de biomassa, Pennisetum glaucum

Texto completo:

PDF